Publicado em 14/11/2011 as 12:00am

Brasileiro se casa duas vezes nos EUA e pode ser deportado

Renato Camara, de 37 anos, está sob custódia do ICE, e deve enfrentar julgamento nos próximos dias para a resolução do caso

Em um caso intrigante, um brasileiro do Alabama está sendo investigado por ter se casado duas vezes, e está à beira da deportação por suspeita de fraude nos matrimônios. Renato Camara,  de 37 anos, está sob custódia do ICE, e deve enfrentar um julgamento nos próximos dias para a resolução do caso.

A suspeita da Imigração é que os casamentos só tenham ocorrido para que ele se legalizasse no país, conquistando a residência permanente. Camara chegou aos EUA em 2005 com o visto de Turista, mas continuou no país mesmo após a expiração do tempo de permanência. Em 2007, Camara se casou com a americana Dianne Rojas e se candidatou para tirar o Green Card.

A agência de Imigração entrevistou Camara e sua mulher separadamente e notaram discrepâncias em suas respostas. Rojas confessou ter recebido US$ 6.000 para se casar com o brasileiro.

As autoridades iniciaram o processo de deportação em outubro do ano passado. Em fevereiro, no entanto, Camara apareceu casado novamente, desta vez com Angela Green.

A segunda mulher de Camara, no entanto, admitiu na semana passada, que o brasileiro lhe pagou US$ 600, parte de US$ 8.000 prometidos para que ela se casasse com ele. Green contou ainda que Camara não se mudou para sua casa e só passava três ou quatro dias da semana lá, onde foi preso nesta semana.

A juíza Katherine Nelson determinou que Camara fosse solto, mas, antes, ordenou a instalação de uma linha de telefone em sua casa para que o brasileiro possa ser monitorado eletronicamente.

A advogada de Camara, Cindy Powell, não quis comentar o caso. Disse somente que seu objetivo era tirá-lo da cadeia.  Já a Promotoria o acusa de ser "comprovadamente um mentiroso", uma vez que já tentou fingir um casamento, e exige que ele fique preso por temer que fuja.

Powell disse que Camara está com problemas financeiros. "Eu não acho que ele vá a lugar algum" afirmou a advogada.

Brasileira enfrenta processo por fraude em agenciamento de casamentos

Em setembro, a brasileira Maria Helena Knoller, de 59 anos, foi acusada de agenciar dezenas de casamentos fraudulentos em Massachusetts, e pode pegar até 10 anos de prisão seguida de deportação se condenada.

Há 3 anos, investigadores encontraram $117.000 em dinheiro e um saco plástico com 61 anéis de casamento, em ouro, além de outros  indícios que a brasileira atuava no esquema fraudulento que beneficiou dezenas de imigrantes.

Michael W. Gilhooly, um porta-voz da U.S. Immigration and Customs Enforcement, afirmou que quando um casamento é suspeito de ser fraudulento, o imigrante entra automaticamente em ‘ procedimentos administrativos de remoção’, mesmo que ele já tenha recebido o Green Card. “ Se alguém tem o Green Card concedido após a entrevista e a fraude é descoberta depois, ele ainda está suscetível a ser deportado” disse Michael.

Fonte: (da redação)