Publicado em 21/11/2011 as 12:00am

MAPS divulga oposição a projeto anti-imigrante

A Massachusetts Alliance of Portuguese Speakers (MAPS) tornou pública nesse semana a sua oposição ao projeto de lei "Ação Para Aumentar a Segurança da Comunidade" (An Act to Enhance Community Safety), proposto por um grupo de legisladores de Massachusetts

A Massachusetts Alliance of Portuguese Speakers (MAPS) tornou pública nesse semana a sua oposição ao projeto de lei “Ação Para Aumentar a Segurança da Comunidade” (An Act to Enhance Community Safety), proposto por um grupo de legisladores de Massachusetts. 

            “Se esse projeto anti-imigrante for aprovado, só trará mais medo para as nossas comunidades, desmantelando ainda mais muitas famílias de trabalhadores e prejudicando a já abalada economia do nosso estado,” afirmou Paulo Pinto, Diretor Executivo da MAPS. “Ao invés de promover a segurança comunitária, essa lei só aumentaria a insegurança em Massachusetts” completa.

            “Estamos alinhados com vários outros parceiros na Massachusetts Immigrant and Refugee Advocacy (MIRA) Coalition na visão de que este projeto propõe uma série de ações e regulamentações que afetariam imediatamente principalmente os imigrantes, e culminaria em um impacto negativo na vida de todos os homens e mulheres do estado,” disse Paulo. Segundo análise da MIRA, a legislação causaria os seguintes impactos diretos:

Impediria que estudantes de alto rendimento chegassem à faculdade, desconsiderando o in-state tuition para imigrantes indocumentados

Prejudicaria trabalhadores, ao exigir dos empregadores a utilização do E-verify, um sistema com um índice elevado de erros que aumenta o desemprego entre quem tem autorização de trabalho, inclusive cidadãos americanos

Incitaria vistorias com base em raça em bairros de minorias e de imigrantes ao aumentar as multas por violações do código de edificações, e negaria acesso de crianças cidadãs americanas a moradias públicas com base no status imigratório de seus pais;

Prejudicaria as relações entre a comunidade e a polícia,  desencorajarando a denúncia de crimes, inclusive de violência doméstica, ao exigir verificação de estado imigratório de qualquer pessoa detida pela polícia;

Exigiria que o estado implementasse o programa “Comunidades Seguras” (Secure Communities), medida que os opositores chamam de um esforço “falho e perigoso”.

“Como uma organização que vem ajudando milhares de imigrantes a superarem barreiras para que possam ter vidas mais seguras e saudáveis e serem membros produtivos da sociedade americana, pedimos aos moradores de Massachusetts que se oponham a essa proposta tão destrutiva e que peçam a seus legisladores que a derrubem,” afirmou Paulo. A MAPS, uma organização privada, sem fins lucrativos, vem oferecendo serviços sociais e de saúde para brasileiros, cabo-verdianos, portugueses e muitos outros desde 1970. Para mais informações, ligue para (617) 864-7600 ou acesse www.maps-inc.org.

Fonte: (da redação)