Publicado em 21/12/2011 as 12:00am

Napolitano cancela programa anti-imigrante no AZ

A secretária do Departamento de Segurança Interna, Janet Napolitano, anunciou nessa semana o cancelamento do programa 287(g) no distrito de Maricopa County, Arizona, justificando 'falhas e conduta inadequada na aplicação da medida'

Durante pronunciamento na semana passada, a secretária do Departamento de Segurança Interna dos EUA (DHS, na sigla em inglês), Janet Napolitano, anunciou o cancelamento do programa 287(g) no distrito de Maricopa County, no estado do Arizona, justificando ‘falhas e conduta inadequada’ dos oficiais responsáveis pela aplicação da medida.

O xerife responsável pelo distrito, o polêmico Joe Arpaio, ficou conhecido nos últimos anos por sua postura extremista e é acusado por Napolitano de exceder a sua autoridade no combate à imigração ilegal na região. 

A decisão do cancelamento da medida se deu após 3 anos de extensa investigação das práticas legais da polícia de Maricopa, que concluiu que a forte postura anti-imigrante do distrito prejudicou as relações de confiança entre a comunidade local e as autoridades.

Além das acusações de uso excessivo da força policial, também foram reportados casos de assédio sexual e práticas que colocavam em risco à segurança dos imigrantes da região. Casos de imigrantes que foram presos por não falarem a língua inglesa também foram reportados, entre outras situações que revelam discriminação racial e étnica.

O programa 287(g)  se configura como um lei similar à SB1070, autorizando a polícia local a identificar e encaminhar para o ICE, aqueles que estão indocumentados no país, porém com mais critérios a serem cumpridos.

Apesar de ser chamado de racista e preconceituoso, Joe Arpaio alega que trabalha apenas para prender e tirar de circulação pessoas perigosas para a comunidade e quem utiliza documentação fraudulenta. “Não tenho nada contras os imigrantes, mas se eles estão cometendo crimes, devem pagar”, acrescentou. O xerife vangloria-se por ser o ‘número 1’ nos EUA no combate a falsificação de documentos e acrescentou que tudo que faz é em nome do “cumprimento da lei”.

Nos últimos 3 anos, o escritório de Arpaio realizou mais de 50 batidas policiais prendendo centenas de imigrantes.

Fonte: (da redação)