Publicado em 23/12/2011 as 12:00am

Brasileiros opinam sobre o espírito natalino nos EUA

Natal é tempo de festa, alegria e confraternização e não há como pensar em festejar as festas de fim de ano sem pensar na família.

Por Larissa Gomes

 

Natal é tempo de festa, alegria e confraternização e não há como pensar em festejar as festas de fim de ano sem pensar na família. Muitos brasileiros que residem nos EUA não podem visitar os familiares na terra natal, alguns pela situação irregular no país, outros por não poderem arcar com os custos que uma viagem internacional requer. O BT entrevistou alguns brasileiros para descobrir como eles comemoram o Natal nos EUA.

 

Mário Oliveira, natural de Governador Valadares (MG), residente nos EUA há cinco anos

“Tenho namorada e filho aqui, mas ainda assim é difícil passar o Natal longe do Brasil, porque é lá que está a maior parte da minha família. Sinto muita saudade deles. Uma forma que achei para não me sentir tão triste nestas datas é estar com os amigos, são eles que fazem a diferença”

Rafael Carvalho, natural de João Pessoa (PB), residente nos EUA há dois anos.

“A cada quatro meses minha família vem me visitar, mas eles não estarão aqui no Natal. Eu tenho primos que moram aqui e noiva também, mas vou passar longe do meu filho de quatro anos, e isso dói muito. Sempre fiz ceia de Natal com a minha família e aqui janto com os amigos e não é a mesma coisa. Como meus amigos e minha noiva são americanos, não tenho o hábito de comer comida brasileira na ceia, algo que sinto falta”.

Jaqueline Amaral, natural de Ipatinga (MG), residente nos EUA há oito anos.

“Família para mim é pai e mãe, e há anos não sei o que é passar Natal com eles. Dia 25 de dezembro é uma data complicada para mim, apesar de eu ter irmãos, primos, filho e marido aqui nos EUA. O meu filho é a alegria da casa no Natal, monto a ‘árvore’,  e do dia 24 para o dia 25, coloco leite e biscoitos quebrados ao lado da cama dele. Quando ele acorda ele corre para me dizer que Papai Noel passou na nossa casa e bebeu leite e comeu biscoitos. Adoro esse espírito natalino”.

Robert Santos, natural de Goiânia (GO), residente nos EUA há quatro anos.

“Não tenho família aqui, e passar o natal longe dela tem seus prós e contras. O lado bom é que eu estou aqui batalhando por nós e ajudo minha família financeiramente, assim posso proporcionar uma qualidade de vida melhor para eles. Mas tem o lado ruim, que é ficar longe deles. Eu sou cabeleireiro e sempre estou rodeado de pessoas, de alguma forma isso ajuda. Minha ceia não pode faltar comida brasileira, arroz com passas, rabanada, tender e peru. Prefiro a nossa culinária, por ser mais leve e saborosa.”

Karen Souza, natural de Governador Valadares (MG), residente nos EUA há oito anos.

“Sempre choro no Natal, fico sensível e é inevitável sentir mais saudade da família nessa época. Eu tenho pais e irmão aqui, mas não moram em Massachusetts. Eu fui criada pela minha família que está no Brasil, porque quando eu era criança, meus pais vieram para cá, então sinto falta deles nas festas de fim de ano”

Jusmar Queiroz, natural de Goiânia (GO), residente nos EUA há nove anos.

“Prefiro passar o ano novo com a minha família, porque dia 31 de dezembro é meu aniversário, então passo duas datas importantes com eles. Estou indo ao Brasil no fim do mês, vou todos os anos, mas o natal é  sempre por aqui, longe deles. O jeito que arrumei para não ficar triste foi de me reunir com amigos, teremos muita comida e bebida brasileira na ceia de natal”

 

Fonte: (da redação)