Publicado em 23/12/2011 as 12:00am

Prefeito de New Haven/CT quer direito de voto para indocumentados

O democrata John DeStefano, afirma que aqueles indocumentados que pagam impostos e respeitam as leis do país, devem ter o direito de votar nas eleições municipais

O prefeito de New Haven – CT, o democrata John DeStefano, anunciou nessa semana que planeja pedir aos legisladores do estado para que aprovem um projeto de lei permitindo que indocumentados tenham direito de votar nas próximas eleições municipais.

A medida foi recebida com alvoroço pelo meio político de Connecticut, majoritariamente conservador e anti-imigrante. Há 4 anos, ele aprovou a concessão de um cartão de identidade de residente, que oferece vários benefícios que se assemelham a de um cidadão americano na região. Um dos opositores da ideia é o governador de Connecticut, Dannel Malloy, que afirmou que a ‘indocumentação é uma barreira para a concessão de certos privilégios’.

Segundo estatísticas de agências que trabalham com Imigração, existem aproximadamente entre 10 a 12 mil indocumentados residindo somente em New Haven. “Nós estamos em um local que apoia as  diferenças. Somos uma cidade que valoriza dar as boas vindas a pessoas de todo e qualquer lugar” justificou o prefeito DeStefano.

A medida vem num momento de ‘virada de mesa’ em relação aos imigrantes do país. Mais de 70 cidades e estados dos EUA já proíbem a polícia local de perguntar acerca do status migratório de residentes que forem presos por algum motivo não-violento. Para muitas cidades, como New Haven, o momento é de inserir os imigrantes no contexto social, gerando confiança entre eles e a polícia local.

DeStefano também já tinha deferido uma ordem proibindo os policiais de New Haven de  perguntar acerca do status migratórios dos residentes, e já expressou oposição à aplicação de programas anti-imigração ilegal, como o Secure Communities. Ele afirma que os conservadores estão tentando culpar os imigrantes pelo falta de emprego em meio à crise econômica. “Estamos vivendo tempos difíceis. A natureza humana nos leva a culpar outras pessoas por nossos próprios problemas. Eu compreendo isso, mas aqui isso não deve ser levado à frente” afirmou o prefeito.

Para alguns residentes, a cidade sempre teve um espírito pró-imigrante e acolhedor aos indocumentados. “ Aqui a polícia não te recrimina por ser indocumentado. Se você for pego dirigindo embriagado vai responder por isso na Corte, mas não terá que responder sobre o seu status migratório por isso” afirma Nicolas Gutierrez, de 63 anos, que é reside no local.

DeStefano quer que não-cidadãos também tenham direito de votar nas eleições municipais, incluindo indocumentados. Segundo ele, caso o imigrante pague impostos, a cidade deveria permitir que eles votassem. O escritório do prefeito justifica afirmando que outros 24 estados tem cidades com projetos parecidos. A medida conta com o apoio de cidades vizinhas, como Hartford.

Fonte: (da redação)