Publicado em 6/01/2012 as 12:00am

Bispo pró-imigrante renuncia após escândalo

O bispo Gabino Zavala atuava como bispo auxiliar em Los Angeles - CA e confessou que é pai de 2 filhos. Ele é conhecido por sua postura a favor dos imigrantes indocumentados

O Vaticano disse que o papa Bento XVI aceitou a renúncia de Gabino Zavala, um bispo auxiliar de Los Angeles, na California, que assumiu ser pai de dois adolescentes. Os filhos de Zavala, que tem 60 anos, vivem em outro Estado com sua mãe. Ele era conhecido por sua postura em favor dos imigrantes, atuando em favor de uma reforma imigratória.

O arcebispo de Los Angeles, Jose Gomez, escreveu sobre o caso em uma carta aos fiéis, em que afirma que a arquidiocese está oferecendo 'cuidado espiritual' à família e ajudando nos custos da universidade dos adolescentes.

Em sua letra, Gomez, diz que a notícia é 'triste e difícil' e afirmou que o bispo Zavala está vivendo no isolamento e não participa de atividades ministeriais desde a renúncia. O bispo Zavala tem 60 anos e nasceu no México. Ele fez campanhas contra a pena de morte e em defesa dos direitos de imigrantes.

Celibato
O Vaticano não disse textualmente a razão para a renúncia do bispo em seu comunicado.No entanto, a nota traz referências à lei canônica que permite que bispos renunciem antes da idade normal para a aposentadoria se estiverem doentes ou incapazes de exercerem seus deveres por alguma razão.

O papa não deu sinais de que está disposto a flexibilizar as regras da Igreja Católica sobre o celibato dos padres, que existe desde o século XI.

Em março de 2010, ele descreveu o celibato como 'um sinal de devocção e de comprometimento total com o Senhor e com seus assuntos, uma expressão da entrega de si mesmo a Deus e ao próximo'.

Sacerdotes católicos não tem permissão para se casarem, mas padres anglicanos casados que se convertem ao catolicismo estão isentos da norma.

Dois dias atrás, Bento XVI nomeou um padre americano casado para chefiar a primeira estrutura americana para anglicanos que se convertem à religião católica.

 

Fonte: (Reuters)