Publicado em 17/01/2012 as 12:00am

Brasileiros nos Estados Unidos e Japão sacam seus FGTS

Nos EUA, 422 trabalhadores brasileiros efetuaram 865 saques no valor de R$ 5.803.966,71, no período de maio a novembro de 2011

A Caixa Econômica Federal (CEF) divulgou recentemente um relatório dos Saques de FGTS no Exterior (Estados Unidos e Japão). Entre os anos de 2010 e 2011, 104 trabalhadores brasileiros no Japão realizaram 161 saques (no período de agosto de 2010 a novembro de 2011) no valor total de R$844.032,45.

Nos Estados Unidos, 422 trabalhadores brasileiros efetuaram 865 saques no valor de R$ 5.803.966,71, no período de maio a novembro de 2011.

Juntos, nos dois países, 526 empregados foram contemplados com o benefício. No total, 10.026 saques foram efetuados e o valor global dos benefícios sacados foi de R$ 6.647.929,16.

É importante ressaltar a importância da parceria MRE-CEF, que resultou em ação concreta que propiciou aos brasileiros no exterior sacar valores, mediante pedidos apresentados nos consulados brasileiros, que anteriormente só poderiam ser sacados no Brasil. Essa parceria que já se demonstrou bem sucedida nos dois países acima mencionados e deverá ser estendida a outros em 2012, a fim de atender à diáspora brasileira.

Benefício foi anunciado em Maio

No dia 14 de Maio, o consulado brasileiro em Boston - MA juntamente com a Caixa Econômica Federal, anunciou o programa permitindo que os brasileiros que residem nos EUA, e que trabalharam por algum tempo em empresas no Brasil, retirem o dinheiro das contas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Antes do programa entrar em vigor, somente os brasileiros do Japão podiam solicitar o saque, obrigando os residentes dos EUA a visitar uma agência da Caixa no Brasil caso quisessem retirar o dinheiro. Utilizando o consulado de Boston como repartição-piloto, com 7 aplicações iniciais, a medida foi recebida com grande satisfação pelos brasileiros. Uma das primeiras beneficiadas foi a housecleaner Aliete Souza, que veio de Esplendor- Minas Gerais, há 6 anos. “Trabalhei em 3 lugares diferentes no Brasil, com aproximadamente 6 anos trabalhando com carteira assinada no país. Nunca tive oportunidade de resgatar esse benefício, e a partir de um consulado itinerante em Peabody – MA. Eu conheci o Fábio e a Beatriz, assisti a palestra sobre o programa, me interessei, e procurei os documentos necessários e iniciei o processo” afirmou ela, na época do encontro.

Fonte: (Texto por Luciano Sodré)