Publicado em 5/02/2012 as 12:00am

Campanha visa angariar assinaturas para evitar deportação de brasileiro

Uma campanha divulgada nas redes sociais e no site www.change.org busca lenvantar pelo menos mil assinaturas no sentido de interromper o processo de deportação do brasileiro Luis Sobrinho.

Uma campanha divulgada nas redes sociais e no site www.change.org busca lenvantar pelo menos mil assinaturas no sentido de interromper o processo de deportação do brasileiro Luis Sobrinho.

Ele chegou aos Estados Unidos no ano de 1998 e um ano depois reuniu sua família (esposa e filhos), na Flórida. Desde então, ele tornou-se um marceneiro profissional, fortaleceu os laços de sua família neste país e entrando definitivamente para a comunidade.

No dia 24 de janeiro, os agentes do Immigration and Customs Enforcement entraram em sua casa com armas em punho e interrogaram ele e toda a sua família. Depois, Luiz foi levado preso e seus familiares vêm sofrendo desde então. O único “crime” do brasileiro foi deixar o visto expirar.

Luis era a principal fonte de renda da família e na sua ausência, a esposa está fazendo de tudo para manter as despesas da casa e criar os filhos. Como está muito dificil a situação, eles estão recebendo ajuda de igrejas, amigos e vizinhos.

Enquanto o brasileiro fica detido, a família enfrenta outro dilema. Caroline, uma de suas filhas, de apenas oito anos de idade, sofre problemas de saúde. Ela tem dificuldades para respirar devido a alergias e precisa de cirurgias. A filha Jennifer, cinco anos, sofre com a dificuldade de dormir desde que o pai foi preso. Ela se tornou uma criança deprimida.

Luis tentou, por diversas vezes, mudar o seu “status” de imigração, mas não conseguiu. Esta camapnha tenta coletar pelo mil assinaturas até o meio dia desta segunda-feira (06) e desta forma tentar sensibilizar as autoridades e impedir que o brasileiro seja deportado.

Quem quiser ajudar é só entrar no site www.change.org, procurar pelo nome “Luis Sobrinho” e participar da coleta de assinaturas.

Fonte: (DA REDACAO)