Publicado em 5/02/2012 as 12:00am

Imigrantes que não falam inglês ganham menos

Pesquisa mostra que 16 cidades em MA possuem muitos adultos que não dominam o idioma

Muitas casas em Quincy, Weymonth e Randolph, no estado de Massachusetts, possuem uma pessoa adulta que não fala inglês. Esta falta de domínio do idioma tem levantado uma grande preocupação entre as autoridades das referidas cidades. Estas informações foram divulgadas no relatório apresentada pelo novo Censo dos Estados Unidos.

Conforme os dados apresentados, pelo menos 17 cidades em Massachusetts são classificadas pela Secretaria Estadual de Educação como as que mais necessitam de instrução quando o assunto é o idioma inglês entre imigrantes adultos.

Para o imigrante romeno Viorelia Guirca, dominar o idioma significa conseguir um melhor trabalho e abertura de novas portas na sociedade. Ele tem 54 anos de idade e cursa aulas inglês no período noturno.

O relatório mostra que um imigrante que fala inglês ganha em média US$38,526 por ano, enquanto que um que não domina o idioma ganha menos que US$14 mil. Estes dados foram apresentados por uma fundação em Boston ligada às barreiras linguísticas, no ano passado.

Mas alguns especialistas afirma que não dominar o idioma vai muito mais além do que as dificuldades de conseguir um bom emprego com uma boa remuneração. “Não falar inglês pode prejudicar no atendimento de emergência de saúde e segurança”, fala Eva Millona, diretora da Massachusetts Immigrant and Refugee Advocacy Coalition.

Nestas regiões apontadas como uma grande área de pessoas que não conseguem dominar o idioma, existem imigrantes da China, Índia, Cabo Verde, Brasil, Rússia, Albânia, Marrocos, Vietnã e Roménia. Estas pessoas carregam na vida uma mistura de esperança com frustação.

Entre estas pessoas, está Maria Lopes, 35 anos, que fala de sua dificuldade em dominar o inglês. Ela trabalha em um laboratório de abastecimento e ressalta que se sente derrotada quando nao consehue explicar para alguém o que ela faz.

Imigrantes assim são comuns nesta região, os quais ainda continuam ganhando pouco pelo fato de nao dominar o inglês.

Fonte: (texto: Luciano Sodré)

Top News