Publicado em 11/02/2012 as 12:00am

Ester homenageia o carnaval em meio a nevasca

A brasileira natural de Belo Horizonte, MG, Ester Pereira Sanches, resolveu homenagear o carnaval de um jeito diferente: sambou em meio a neve da supertempestade de inverno que atingiu estados do nordeste dos Estados Unidos neste sábado (9).

da redação

A brasileira natural de Belo Horizonte, MG, Ester Pereira Sanches, resolveu homenagear o carnaval de um jeito diferente: sambou em meio a neve da supertempestade de inverno que atingiu estados do nordeste dos Estados Unidos neste sábado (9).

Ester mora na cidade de Tolland, Connecticut, há mais de 25 anos . Ela, que já foi rainha de um carnaval em Alvinópolis, no interior de MG, diz que sente falta desta época do ano no Brasil. "Todos os anos meu esposo e eu íamos para o Rio ou Alvinópolis, mas depois que o meu filho ficou maiorzinho, viajar tornou-se algo difícil, pois as férias de inverno da escola não coincidem com a data do carnaval aí no Brasil. Ele é filho único e não confiamos deixá-lo sozinho com a babá por tantos dias", lamenta.

Outros brasileiros que presenciaram a forte nevasca nos EUA também enviaram fotos ao VC no G1. Clediene Pontes Lopes, que mora há 9 anos nos Estados Unidos e há 3 na cidade de Seabrook, New Hampshire, conta que não é aconselhável sair de casa pelo risco de acidentes. "Tem muita neve acumulada. Continua nevando um pouco e não está muito frio", conta.

A brasileira, que mora com o marido, irmã, cunhado e sobrinho, convidou outro irmão, cunhada e sobrinha para passar a nevasca em sua casa. "Convidamos meu outro irmão com minha cunhada e sobrinha para vir ficar com a gente, pois ele mora em apartamento e correria risco de ficar sem energia. Abastecemos geradores, carros e compramos alimentos, por precaução. Mas, com certeza, hoje tudo já volta ao normal", relata.

Já Helker Gomes Rosa, que vive em Clinton, Connecticut, há 7 anos, afirma que nunca tinha visto algo igual. "A situação está tranquila mas não podemos sair de casa, porque está impossível transitar nas rodovias. Tem muitas pessoas sem energia na minha região. Foi uma correria pra mim, porque trabalhei ontem o dia todo, mas consegui comprar alguns alimentos e estou tranquilo", afirma.

Fonte: Brazilian Times