Publicado em 26/02/2012 as 12:00am

Arquidiocese de Boston lança campanha contra O Suicídio Assistido

Em Novembro, os cidadãos de Massachusetts votarão para aprovar ou rejeitar uma ação chamada "Morte com Dignidade", que regulariza a Eutanásia no estado

Nas eleições do próximo mês Novembro, os cidadãos de Massachusetts serão convidados a votar para aprovar ou rejeitar a ação chamada “Morte com Dignidade”. Se a ação for aprovada, permitirá um adulto residente do estado de Massachusetts, considerado com capacidade mental, e tendo sido diagnosticado por dois médicos com uma doença que provavelmente irá causar a morte do paciente em seis meses ou menos, a pedir e receber prescrição médica de droga letal da qual o paciente pode auto-administrar.

Em 1994 os eleitores de Oregon tornaram o suicídio assistido um “tratamento médico”. Em 2008 o estado de Washington fez o mesmo. Suicídio assistido por médicos ainda é crime em 44 estados. Agora o estado de Massachusetts tem sido apontado como o próximo estado onde suicídio assistido se tornará legal.

É preciso duas testemunhas para dizer que o paciente é capaz, que esta agindo

voluntariamente, e não esta sendo forçado. A prescrição médica deve ser entregue ao paciente ou ao seu agente. A lei não requer testemunhas no momento da morte e afirma que a pessoa deve auto-administrar a droga.

Quando o paciente morre, a certidão de óbito deve indicar a causa da morte como a doença subsubjacente em vez dos efeitos da droga letal.

A Associação de Medicina Americana, American College of Physicians (Colégio Americano de Médicos) e a Sociedade Médica de Massachusetts se opõe ao suicídio assistido por médicos. (Karla Gonçalves  - Apostolado Brasileiro / Arquidiocese de Boston)

Fonte: (DA REDAÇÃO)

Top News