Publicado em 28/02/2012 as 12:00am

Americano é condenado por agir com racismo com brasileiro

Mesmo ele negando que sua atitude foi promovida por ódio racial, ele assumiu ser um oficial de polícia, colocando trajes policiais para abordar a vítima

O norte-americano Mark Vreeland foi condenado na segunda-feira (27), a quatro dias de prisão uma multa de US$250 (cerca de R$ 430,00) e 25 horas de serviço comentário, além de 12 meses sobre liberdade condicional. Ele enfrentava julgamento por ter fingido ser um policial e abordar uma imigrante legal brasileira. Os promotores analisaram esta atitude como um ato de racismo.

Mesmo ele negando que sua atitude foi promovida por ódio racial, ele assumiu ser um oficial de polícia, colocando trajes policiais para abordar a vítima. O procurado da cidade de Orem, em Utah, Robert Church, afirmou que o acusado agiu com ares de racismo ao abordar Alcides de Souza e se passar por uma autoridade apenas para intimidar e amedrontá-la.

Durante a audiência de segunda-feira, o Procurador afirmou ao tribunal que o acusado começou perseguir a vítima após ela cometer uma infração de trânsito e em seguida a mandou encostar. “Neste momento ele colocou na cabeça o chapéu de um agente do Immigration and Customs Enforcement – ICE, confeccionado por ele” afirmou ele.

O procurador disse, também, que Mark não apenas abordou a vítima, mas exigiu que ela lhe apresentasse a permissão para estar no país. Enquanto fazia sua acusação, Robert mostrou o chapéu usado pelo acusado durante o momento da abordagem.

O advogado de defesa, Grant Nagamatsu, tentou minimizar o incidente alegando que as ações de seu cliente foram motivadas pela preocupação com as infrações de trânsito perto de sua casa. “Ele também não sabia a nacionalidade da brasileira quando a abordou”, argumenta concluindo que não houve racismo na ação de Mark.

Antes de pronunciar a sentença, o juiz Reed Parking enfatizou que ninguém pode se passar por policiais e ainda mais usar isso para intimidar as pessoas.

Fonte: (Texto por Luciano Sodré)