Publicado em 4/03/2012 as 12:00am

Preço baixo aquece mercado imobiliário nos EUA e atrai brasileiros

A corretora de imóveis Maria Silveira afirma que o momento é ideal para a compra de um imóvel nos EUA

A corretora de imóveis Maria Silveira, da Century 21, diz que o momento ideal para adquirir imóvel nos EUA é agora. Segundo ela, o mercado está aquecido devido aos preços baixos, consequência da crise imobiliária que afetou o país em 2008. Para os que adquiriram casa nessa época e estão com dificuldades de pagar as prestações, ela diz que a solução é o “Loan Modification” ( Modificação do Financiamento) ou o “Short Sale” (Venda da Propriedade).

Maria Silveira lembra que a crise aconteceu por causa da supervalorização dos imóveis e também pela facilidade com que os bancos ofereciam crédito. “Naquela época, não era necessário comprovar renda para comprar uma casa financiada, os bancos emprestavam dinheiro sem sequer saber se a pessoa podia pagar o empréstimo. Isso fez com que muitos comprassem e, consequentemente, houve uma supervalorização dos imóveis e os juros também subiram”.

Ela acrescentou que o que aconteceu em 2008 foi uma valorização extrema do mercado imobiliário, mais conhecido como ‘bolha imobiliária’, quando as pessoas compraram imóveis com um valor muito alto e depois não tiveram condições de manter o pagamento do financiamento, devido aos juros das prestações que subiram por conta da valorização dos imóveis.

Até hoje, muitos proprietários têm dificuldades de pagar o “mortgage” (parcelas do financiamento). Maria diz que quem está nessa situação tem duas alternativas. A primeira seria o “Loan Modification”, que é a renegociação da prestação com o banco. E a segunda seria o “Short Sale”, que consiste em vender a casa no valor atual de mercado. “Eu aconselho a todos os meus clientes a tentarem renegociar a dívida com o banco, quando isso não é possível aconselho o ‘ Short Sale’ ”, revela.

Maria explica que a vantagem do “Short Sale” é não continuar pagando por um imóvel que não vale mais o preço pelo qual foi negociado. “Quem adquiriu um imóvel por 500 mil dólares, por exemplo, está pagando uma prestação com o valor de mercado antigo. É preferível que ela venda o imóvel pelo preço de mercado atual, mesmo que seja abaixo do que ela deve”.

Segundo Maria, hoje os bancos estão mais cautelosos na hora de emprestar dinheiro e, por esse motivo, ela acha difícil que uma nova crise imobiliária aconteça nos EUA. “O mercado imobiliário está aquecido, o país está saindo da crise e a procura por imóveis aqui está muito grande, porque as pessoas perceberam que os preços estão baixos, em consequência da crise de 2008”, disse.

“Um imóvel de 165 mil dólares pode ser pago em até 30 anos, com uma prestação de U$ 1.215,00 por mês, e já estão inclusos os valores do imposto e seguro. O aluguel desse imóvel fica em torno de U$ 1.500,00 a 1.700,00 , ou seja, quem acaba pagando o mortage é o inquilino, não o proprietário”, explicou Maria.

A corretora explicou ainda que para adquirir um imóvel financiado, é preciso que a pessoa esteja em dia com a declaração de impostos, tenha o valor da entrada depositado em banco, com pelo menos dois meses de antecedência à data da compra, seja cidadão americano ou possua o Green Card. “Os indocumentados também podem comprar um imóvel nos EUA, mas existem outros critérios a serem preenchidos”, esclarece.

Para mais detalhes e informações sobre compras de imóveis nos EUA, contatar a Century 21 , ligando (781)-241-3228, falar com Maria Silveira. A Century 21 fica situada no 680 Broadway, Everett –MA.

Fonte: (por Larissa Gomes)