Publicado em 26/03/2012 as 12:00am

Brasileiros recebem ajuda para se tornarem cidadãos dos EUA

Brasileiros recebem ajuda para se tornarem cidadãos dos EUA

Dezenas de brasileiros residentes na região do MetroWest se reuniram, na sexta-feira (24),  na igreja Saint Andrew Episcopal, em Framingham – Massachusetts. Eles receberam orientações sobre como tornarem-se cidadãos dos Estados Unidos. Este trabalho faz parte de um esforço nacional organizado National Partnership for New Americans. National Partnership for New Americans. National Partnership for New Americans. National Partnership for New Americans (Parceria nacional para novos americanos).

A campanha que traz como título “Seja um Americano, agora! Massachusetts”, tem como objetivo reunir um grande número de pessoas não-cidadãs, mas que possuem os requisitos para tal. Além de oferecer um trabalho de orientação, o programa visa ajudar psicologicamente estas pessoas.

Segundo Cristina Aguilera, do Massachusetts Immigrant and Refugee Advocacy – Mira, explica que muitas pessoas estão intimidadas pelo processo, porque é muito cmplicado. “Existe imigrantes que conseguiram o Green Card há mais de 20 anos e ainda não aplicaram para a cidadania”, ressalta.

Um imigrante com Green Card pode solicitar a sua cidadania depois de cinco anos, segundo ela explica, ou três anos se esta pessoa for casada com um cidadão dos EUA. “Entretanto, na região do MetroWest existe um grande número de pessoas que não quer aplicar para se tornar cidadão”, acrescenta.

Para justificar este número de imigrantes com Green Card que não aplicam para a cidadania, ela fala que na maioria das vezes “é por medo”, principalmente porque o teste é em inglês. Mas para alguns, a questão é a falta de dinheiro. O processo custa US$700.00 para fazer a aplicação, além das taxas que ultrapassam a casa dos milhares. Já, em relação à outras pessoas, o problema é  a falta de tempo, devido a carga horária elevada.

Para ajudar neste programa, o “Nós Votamos”, de Framingham, enviou dezenas de voluntários para a igreja no sentido de ajudar as centenas de pessoas a preencher o requerimento de cidadania, que tem 10 páginas.

Uma destas pessoas que aplicou para a cidadania com a ajuda do projeto, foi a brasileira VivianHalbedel, 27 anos de idade, que vive na cidade de Leominster. “Nós vivemos aqui e podemos fazer parte deste país”, disse ela, que chegou aos EUA ainda adolescente e cursou a Milford High School.

Vivian se casou com um cidadão dos Estados Unidos há cerca de três anos e em breve estará elegível para se candidatar. “Este evento me ajudou muito, pois consegui reduzir os custos do processo”, fala.

Segundo o coordenador do “Nos Votamos”, Antonio Massa Viana, há uma grande necessidade que os grupos ajudem a orientar e encaminhar as pessoas para que elas não gastem muito com o processo de cidadania. “Nós podemos ajudar e devemos fazer a nossa parte”, ressalta.

Fonte: (DA REDAÇÃO)

Top News