Publicado em 15/04/2012 as 12:00am

Brasileiro recebe honraria por salvar soldados dos EUA

Brasileiro recebe honraria por salvar soldados dos EUA

Felipe Pereira, um sargento do exército dos Estados Unidos, nascido no Brasil, recebeu na semana passada, a segunda maior honraria entregue à militares em serviço. Ele foi homenageado por ser o responsável pelo salvamento de duas vidas durante um ataque no Afeganistão. O chefe do Estado Maior do Exército, General Ray Odierno, colocou a medalha “Distinguished Service Cross” no peito do brasileiro na quinta-feira (12). A cerimônia de entrega da medalha aconteceu na cidade do Tennessee, no Kentucky.

O sargento nasceu em Brasília e se mudou para os Estados Unidos quando ainda tinha 17 anos de idade com a intenção de estudar inglês em uma faculdade em Nebraska. Ele formou-se em Biologia e trabalhava como instrutor de artes marciais, quando decidiu se alistar ao Exército. Os pais de Felipe viajaram do Brasil para os EUA para prestigiar a cerimônia de entrega da medalha.

Em 2010 tornou-se cidadão com dupla nacionalidade (Brasil e EUA) e afirma que “jamais esperava que sua vida tomasse este caminho”. “Eu era apenas um imigrante que falava poucas palavras em inglês e logo depois é condecorado com uma das maiores honrarias do exército”, continua.

Felipe descreve o dia 1º de novembro de 2010, onde ocorreu um ataque na província de Kandahar, quando ele foi ferido por um homem-bomba e dois soldados foram mortos. Apesar dos ferimentos provocados pelos estilhaços em seu pulmão, o brasileiro se lançou sob o fogo inimigo para salvar os dois soldados derrubados.

O brasileiro relata que o ataque começou com um homem-bomba em uma motocicleta que se jogou contra o pelotão em que ele estava. “A explosão me jogou ao chão e eu fiquei entre dois dilemas: ficar deitado e pedir ajuda, ou fazer algo”, fala ressaltando que ficou fazendo para si mesmo a pergunta: “Sou capaz de lutar?”. A resposta foi uma só: “Sim, eu sou”.

Neste momento, ele agarrou-se em um veículo semelhante a um carrinho de golfe e dirigiu-se até onde estavam os demais soldados feridos. O brasileiro entrou em um fogo cruzado com balas atingindo o veículo, que por pouco não o acertaram.

Utilizando o veículo ele conseguiu tirar os dois solados feridos da zona de perigo e leva-los até os médicos. Só depois que salvou os dois colegas, que o brasileiro percebeu seus ferimentos, tais como ferimentos no pulmão e feridas no braço e fígado, provocados pelos estilhaços da bomba.

Ele ainda brincou que dizendo que todos os soldados faziam piadas sobre o tamanho do veículo. “Nós sempre falávamos que seria horrível ter que colocar uma metralhadora neste carrinho para combate”, fala se emocionando quando lembra que os dois soldados não suportaram os ferimentos e morreu logo após chegar ao médico.

Ao receber a medalha, o brasileiro disse que não fez nada além do seu dever, mas General Odierno ressalta que ele fez um grande feito e arriscou a vida pelos colegas e pela Pátria. “Você foi além do seu dever”, disse o chefe durante a entrega da honraria.

Fonte: (DA REDAÇÃO)