Publicado em 8/05/2012 as 12:00am

Brasileiro é preso acusado de atacar colega de quarto em Somerville (MA)

Um homem que supostamente atacou o seu colega de quarto com uma faca e um soco na face foi preso pela polícia de Somerville - Massachusetts, na quinta-feira (03). Conforme as informações dos registros policiais, Marcos Alves, 49 anos, residente na Flint S

Um homem que supostamente atacou o seu colega de quarto com uma faca e um soco na face foi preso pela polícia de Somerville - Massachusetts, na quinta-feira (03). Conforme as informações dos registros policiais, Marcos Alves, 49 anos, residente na Flint Street, responderá por agressão com arma perigosa e lesão corporal.

No Boletim de Ocorrência consta ainda que, no dia 26 de abril, o patrulheiro Diogo de Oliveira foi até o Somerville Hospital para conversar com um paciente que, supostamente, teria sido vítima de violência doméstica. O rapaz apresentava um hematoma e inchaço ao redor do olho esquerdo e segundo as informações que ele forneceu ao policial, o agressor era Marcos, o seu companheiro de quarto.

Em seu testemunho, a vítima relatou que no dia da agressão, ele e alguns amigos estavam bebendo em seu apartamento, quando o agressor não gostou de uma brincadeira feita por ele. Depois ele o seguiu e começou agredi-lo. Como a vítima tentou se defender, o acusado sacou de uma faca e desferiu-lhe um golpe.

Para sorte da vítima, uma pessoa surgiu e impediu que o pior acontecesse. Com medo de sofrer perseguição, ela preferiu não chamar a polícia, mas quando chegou ao hospital e viu o estrago que o agressor fez em seu rosto, não hesitou e acionou os policiais, que foram ao local da agressão e não encontraram o suspeito.

Os investigadores conseguiram falar com Marcos através do telefone e solicitou que ele fosse até o departamento. Na manhã seguinte ao chamado, ele apareceu e justificou que as agressões foram mútuas e que não houve envolvimento de faca na briga. O acusado também disse que a vítima lhe agrediu, cortando-lhe o parte da boca. Mas os policiais não viram qualquer tipo de ferimento no rosto do suspeito.

Foi então que os investigadores determinaram que ele era o agressor primário e deram voz de prisão. (texto: Luciano Sodré) 

Fonte: Brazilian Times