Publicado em 9/05/2012 as 12:00am

Desesperados, brasileiros invadem BR Courier

"Quem quiser suas caixas vá procurar seus direitos na Corte", afirmou o proprietário da empresa, José Moreira, ao sargento da polícia de Malden

"Quem quiser suas caixas vá procurar seus direitos na Corte", afirmou o proprietário da empresa, José Moreira, ao sargento da polícia de Malden

Luciano Sodré

Na tarde desta terça-feira (08), o galpão da BR Courier, em Malden, Massachusetts, foi "invadido" por dezenas de brasileiros que estavam em busca de suas caixas desaparecidas. Eles chegaram ao local e a desorganização da empresa acirrou os ânimos, pois ninguém estava no local, que foi abandonado por voluntários no sábado passado, dia 4, deixando a porta do depósito aberta.

Quando o tumulto ficou mais intenso, alguns vizinhos da empresa chamaram a polícia para evitar que algo pior acontecesse. Segundo o Sargento David Franzese, que comandou os policiais, a surpresa maior foi com a atitude do proprietário José Moreira. "Por telefone ele me disse que não cooperaria com a polícia e muito menos devolveria as caixas", fala o oficial.

Segundo o sargento, José Moreira teria dito ainda que os brasileiros que quiserem reaver seus produtos devem procurar seus direitos, na Corte. "Ele ainda mandou que a polícia se retirasse do local por não ter um mandado de apreensão e desligou o telefone", fala.

"A atitude de Moreira só mostra que não há interesse algum da BR Courier em resolver os problemas e que as várias notícias publicadas de que ela estaria devolvendo caixas não passaram de uma estratégia dos proprietários para enganar as pessoas e ganhar tempo para abrir falência e parar os processos". Isso é o que afirma um dos prejudicados que estava no local, mas pediu para omitir seu nome por saber que pode sofrer perseguição. "Eles tem meu nome e meu endereço e devem suspeitar que sou imigrante indocumentado", se eu apareço aqui eles me mandam junto com as caixas de volta pro Brasil, através da imigração", ironiza.

Após perceber que o proprietário da empresa não iria colaborar, os policiais lacraram o local e impediram que os demais brasileiros entrassem no galpão para tentar pegar suas caixas. "Agora é esperar que a justiça decida o que vai acontecer", disse o sargento.

Os brasileiros alegaram aos policiais que quando chegaram ao local, as portas estavam abertas e por isso entraram e reviraram o local em busca de seus pertences. De acordo com as informações colhidas no local, os voluntários que trabalhavam no sábado foram embora e deixaram as portas abertas.

A equipe de reportagem do jornal Brazilian Times tentou entrar em contato com o proprietário da BR Courier, mas nenhum dos telefones da empresa foram respondidos. Nem mesmo os e-mails enviados foram respondidos.

FALÊNCIA

Um pedido de falência da Br Courier foi aceito pela Corte de New Jersey. Isso significa que a devolução de todas as caixas estão suspensas. Os bens serão vendidos para liquidar pendências da empresa.

As caixas que estão no Brasil serão entregues normalmente, á medida que forem sendo liberadas e Moreira afirma que a Ramos Transporte continua efetuando as entregas.

Fonte: Brazilian Times