Publicado em 18/05/2012 as 12:00am

Condenação de brasileiro subiu para 20 anos em Massachusetts

Paul Cucinelli foi condenado por atacar e roubar três homens em 2006 e esmagar o crânio de um deles

Paul Cucinelli foi condenado por atacar e roubar três homens em 2006 e esmagar o crânio de um deles

O líder de uma gangue que admitiu ter atacado e roubado três homens, em 2006, tentou na semana passada conseguir uma redução em sua pena, que era de 10 anos em regime fechado. O brasileiro Paul Cucinelli, como é conhecido, foi surpreendido por uma decisão totalmente contrária. O painel que analisou o caso, formado por três juízes, aumentou a para 20 anos em uma prisão estadual.

Segundo o porta-voz do promotor Jonathan Blodgett, Carrie Kimball Monaham, esse tipo atitude raramente acontece. Ele explicou que apenas de Penas é um processo pouco conhecido e quando é feito, um painel formado por juízes analisam os casos e decidem o que fazer.

Normalmente, conforme conta Carrie, os juízes deixam a sentença original ou reduzem se acharem necessário e analisarem que o réu merece a redução. No caso do brasileiro aconteceu diferente, que esperava liberdade condicional, mas teve a pena aumentada na quinta-feira (10).

O brasileiro, tem 26 anos, está preso desde 2006 e foi condenado por três acusações de roubo à mão armada, além de agressão e lesão corporal com arma perigosa. Na época, o juiz de Salem (Massachusetts), Howard Whtiehead, impôs 15 anos de prisão, podendo ser reduzido para 10 em caso de bom comportamento. Além dele outros jovens foram condenados por pertencer a mesma gangue.

Cucinelli era o líder de uma gangue de rua chamada de "Warrior Brothers", formada na cidade de Beverly (MA). O grupo começou espalhar o medo na região e pode ter sido responsável por diversos assaltos.

No caso da agressão em 2006, um homem caminhava no dia 11 de setembro nas primeiras horas da manhã, quando foi surpreendido pela gangue que o atacou com um bastão, socos e chutes. O brasileiro colocou uma faca na garganta da vítima e exigiu que lhe entregasse algum dinheiro. Os criminosos conseguiram apenas US$1,50 e um maço de cigarros.

Na manhã seguinte, por volta das 4h30, um jovem estudante universitário estava passeando no centro da cidade quando foi atacado pela gangue do brasileiro. Ele foi agredido com um objeto de metal na cabeça, espancado e recebeu vários chutes. Com uma faca, Cucinelli roubou US$300.

Mas o crime mais grave praticado pelo brasileiro e sua turma foi no dia 15 de setembro de 2006, quando a vítima Darrel Marsh estava caminhando em direção à sia casa, saindo de seu novo emprego. Ao ser abordado pela gangue, ele alegou que não tinha dinheiro e que estava em seu primeiro dia de trabalho. Irritado, os membros da gangue, incluindo o brasileiro golpearam a cabeça da vítima, por três, com um taco de basebol, esmagando o crânio.

Depois que a vítima caiu e ficou sangrando no chão, o brasileiro e os outros continuaram chutando e procurando algum dinheiro nos bolsos. Eles conseguiram roubar US$5.00 e saíram correndo. Darrel só foi salvo, graças à um pedestre que passa no local e chamou a polícia e o resgate. "Caso contrário, ele teria morrido", afirmou um promotor durante a sentença original. (texto: Luciano Sodré)

Fonte: Brazilian Times