Publicado em 21/05/2012 as 12:00am

Brasileira ganha processo e ICE retira tornozeleira eletrônica

No texas, a brasileira Martha Torres estava enfrentando um processo de deportação, aguardando em liberdade mediante o uso de uma tornozeleira eletrônica. Sentindo-se oprimida, ela procurou o Isenberg Center for Immigration Equality (ICIE), na busca de res

da redação

No texas, a brasileira Martha Torres estava enfrentando um processo de deportação, aguardando em liberdade mediante o uso de uma tornozeleira eletrônica. Sentindo-se oprimida, ela procurou o Isenberg Center for Immigration Equality (ICIE), na busca de resolver o seu problema. Imediatamente a entidade abraçou a causa e acionou o Immigration and Customs Enforcement - (ICE).

Ela esteve no escritório do ICIE, na terça-feria (15), e relatou o que havia acontecido e uma equipe começou a trabalhar em cima do processo. Um dos membros e diretores da entidade, Arturo Rodriguez, foi para o escritório do ICE exigir que a tornozeleira fosse retirada da brasileira. No início houve uma certa hesitação, mas depois de argumentos e provas de que ela não significava perigo e tampouco iria fugir, o pedido foi aceito.

Na sexta-feira (18) a entidade e a brasileira comemoram a retirada da tornozeleira e Arturo fala que a ICIE não descansará enquanto ver que o ICE está punindo as pessoas de forma errada. "Não podemos aceitar que isso continue acontecendo", fala Ralph Isenberg, fundador do ICIE.

Agora a brasileira não terá mais que se preocupar com o monitoramento em seu tornozelo e poderá voltar a ser mãe. Informou o ICIE em uma nota comemorando a vitória. "Este tipo de vigilância deve ser aplicado a apenas criminosos perigosos", fala Ralph.

Além disse, o ICIE conseguiu uma estadia de um ano para que a brasileira permaneça legal nos Estados UNidos. "Martha é um grande exemplo da luta da entidade contra quem ataca os direitos humanos e direitos civis e ferir a constituição quando o assinto é imigrante.

Fonte: Brazilian Times