Publicado em 8/06/2012 as 12:00am

Americano acusado de abusar de menor brasileiro vai a julgamento em MA

"Eu fui obrigada entregar meu filho nas mãos de um pedófilo porque um juiz ordenou que isso fosse feito", fala explicando a decisão de que o pai tinha dereito de ver a criança

Luciano Sodré

Começou na quinta-feira (07), o julgamento de um norte-americano com 52 anos de idade acusado de abusar o próprio filho, um brasileiro de apenas oito anos de idade. As denúncias foram feitas pela sua esposa, que reside na cidade de Barnstable (Cape Cod). S.N., afirma que desde o início suspeitou que seu ex-marido estava abusando do filho do casal.

N.Y. conta que conheceu o norte-americano em 2003, quando ela esteve nos Estados Unidos como atleta. Eles tiveram um caso e a brasileira acabou engravidando. Ao retornar para o Brasil, comunicou o pai da criança sobre o que aconteceu. Em janeiro de 2005, ele visitou o filho, que nasceu na cidade de Contagem, em Minas Gerais.

Depois da visita, eles se casaram e ela mudou-se para os Estados Unidos, no ano de 2006. "No início eu percebi que algo estava errado, mas como não tinha provas, não investiguei o assunto", fala ressaltando que em 2007 encontrou o seu filho com sinal de agressão no rosto, deitado na cama do casal.

Além desta suspeita, em 2009 ela denunciou o norte-americano acusando-o de tentativa de homicídio. "Nós ficamos casados apenas dois meses, pois eu não conhecia este lado dele e isso me assustava muito", explica.

Após a separação, ela comunicou, à uma agência especializa, sobre a suspeita de abuso sexual e foi à Justiça em busca de ajuda. Mas um juiz, na época ordenou que ela continuasse permitindo que o pai pudesse ver o filho em datas pré-determinadas. "Era nestas visitas que o meu filo era abusado", se emociona ao lembrar.

"No começo eu sofri muito, pois não fala muito bem o inglês e um juiz da cidade de Barnstable, Robert Scandurra, não acreditava em mim", acrescenta.

Depois que a brasileira fez a denúncia, o norte-americano foi preso por alguns dias e as investigações iniciaram. Segundo jornal Cape Cod Times, foi encontrado sêmen na roupa da criança e um exame de DNA constatou que se tratava de duas pessoas. O acusado mora em Barnstable, região do Cape Cod, junto com os pais. "Eu suspeito que o pai dele também esteja envolvido", tenta explicar o sêmen de duas pessoas.

Mesmo diante das denúncias feitas, ainda não foi oficializada nenhuma acusação criminal e este julgamento será para definir se ele é culpado ou não. "Mas pode ter certeza de que tentarei de tudo para acusá-lo como um criminoso", fala ressaltando de que as provas mais recentes, inclusive o resultado do exame de DNA do sêmen, feito em novembro passado, provarão para a Justiça que ela está certa e que o ex-marido abusava do filho.

O nome da mãe e de seu filho não foram identificados pelo fato de que o assunto é um caso de abuso sexual e pode prejudicar ainda mais a recuperação da criança. S.Y. também pediu para não divulgar o nome do pai, para proteger seu filho.

Em relação às visitas do filho ao pai, ela disse que não podia impedir, pois era determinação judicial e cada vez que entregava a criança nãos mãos do acusado sentia muito medo do que poderia acontecer."Ele sempre me dizia que o pai o machucava", fala.

S.N. comenta que na época ninguém acreditou nela e que agora vai conseguir provar que o ex-marido é um criminoso e abusou sexualmente do filho.

ACOMPANHAMENTO

O menino está passando por uma série de acompanhamentos terapêuticos e uma equipe tenta afastar o trauma vivido por ele. S.Y. diz que é muito triste quando olha o filho e percebe que ele está abatido por lembrar o que acontecia com ele. "O momento mais triste foi quando eu o levei para ficar o pai e ele me disse: mãe, porque a senhora me traz aqui, ele me machuca", disse ela entre lágrimas.

Fonte: Brazilian Times