Publicado em 13/06/2012 as 12:00am

Boston sedia 1º encontro de trabalhadores doméstica do estado

Será neste sábado, dia 16, na sede do Sindicato SEIU 1199 (150 Mt. Vernont Street), em Dorchester a 1ª Convenção das Trabalhadoras Domésticas do estado e o Congresso Accross Generations/Care, que reivindica mais direitos para as cuidadoras de idosos. Est

Será neste sábado, dia 16, na sede do Sindicato SEIU 1199 (150 Mt. Vernont Street), em Dorchester a 1ª Convenção das Trabalhadoras Domésticas do estado e o Congresso Accross Generations/Care, que reivindica mais direitos para as cuidadoras de idosos. Este é o primeiro passo para lançar a nível estadual uma campanha pela implementação de uma Carta de Direitos para as trabalhadoras domésticas de Massachusetts.

Ao mesmo tempo, a realizacão do Congresso Care, trará a Boston a diretora da Aliança Nacional de Trabalhadoras Domésticas, Ai-Jen Poo, eleita por Times Magazine uma das 100 pessoas mais influentes do mundo em 2011. Com Ai-Jen também estará em Boston a diretora nacional da organização Jobs with Justice, Sarita Gupta. "O Grupo Mulher Brasileira e a Cooperativa de Mulheres Vida Verde vão participar com seis pessoas", disse Heloisa Maria Galvão. "Mas nós gostaríamos de ver 100, 200, 500 pessoas lá. Nós convidamos todas as brasileiras e todos os brasileiros e virem conosco testemunhar este momento histórico e ouvir Ai-Jen. Nós precisamos de pessoas que nos inspirem e nos dêem força pelo exemplo e Ai-Jen e Sarita são duas destas pessoas".

A Convenção de Trabalhadoras domésticas é organizada pela Coalizão estadual de Trabalhadoras Domésticas (MCDW), um braço da Aliança Nacional, que em Massachusetts é integrada pelo GMB, pelo Centro do Imigrante Brasileiro, MataHari: Eye of the Day, Centro de Desenvolvimento Dominicano e pelo Instituto de Desenvolvimento de Lideranças de Mulheres (WILD).

" Este encontro é super importante", disse Vanilda Zaca, do Cidadão Global, uma organização sediada no Queens, Nova York. Ela está vindo com mais três pessoas e chama atenção para o fato de que a Carta de Direitos em vigor em Nova York estabeleceu em $7.25 o valor da hora trabalhada para as domésticas. "Mas nós precisamos é de um piso salarial", defendeu Vanilda, explicando que infelizmente ainda há muita exploração. Muitas vezes, a housecleaner limpa cinco casas por dia mas é paga uma miséria no final do dia, enquanto a dona, ou dono, da schedule, fica com o grosso. " Temos de fazer uma campanha forte para envolver todas as housecleaners nesta campanha pela Carta de Direitos para que este documento incorpore o que nós precisamos. Este encontro é muito importante e a participacão das(os) brasileiras(os) também, uma vêz que a maioria de nós trabalha como housecleaner".

O tema central da Convenção, que começa às 9 horas do sábado, dia 16, é "Como podemos valorizar e melhorar as condições do trabalho doméstico?". Na parte da manhã, haverá discussões sobre Conheça os seus direitos/recursos legais e de saúde; contratos e negociações e, na parte da tarde, Ai-Jen e Sarita vão facilitar a discussão sobre como podemos fortalecer comunidades e o movimento dos trabalhadores.

A participação na Convenção é gratuíta e haverá babá para as mães e os pais que precisam lelar os filhos. Para increver-se ou obter mais informação, entre em contato com o Grupo Mulher Brasileira, 617-787-0557 ramal 15 ou 14 ou via e-mail mulherbrasileira@verdeamarelo.org

Fonte: Brazilian Times