Publicado em 13/06/2012 as 12:00am

Campanha de Mourisso espalha-se pelo Brasil

O Pastor Walter Mourisso (Membro/suplente do Conselho de Representantes de Brasileiros no Exterior - CRBE), iniciou há poucos meses uma campanha para coletar roupas para serem doadas à entidades filantrópicas no Brasil. Aos poucos, os brasileiros que vive

O Pastor Walter Mourisso (Membro/suplente do Conselho de Representantes de Brasileiros no Exterior - CRBE), iniciou há poucos meses uma campanha para coletar roupas para serem doadas à entidades filantrópicas no Brasil. Aos poucos, os brasileiros que vivem nos Estados Unidos foram abraçando a causa e em pouco tempo a ação poderá ser conhecida em todo o país.

Na semana passada, em conversa com o ativista Toninho do PT, ficou acertada de que parte do próximo material coletado será encaminhado para grupos que cuidam de pessoas carentes no Mato Grosso. "Foi uma parceria que ajudará muita quem está precisando", fala o pastor empolgado com a parceria.

Mourisso ressalta que as pessoas interessadas em ajudar na doação ou até mesmo participar da parceria indicado entidades que precisam de ajuda no Brasil, é só entrar em contato com ele. "Nós conseguimos o material e depois eu me encarrego de enviar para o Brasil, sem custo para quem está doando ou para quem está recebendo", fala.

Toninho disse que está visitando algumas pessoas para conseguir o máximo de roupas, pois ele pretende que tudo seja distribuído antes do Natal, em Jauru e cidades vizinhas. "Tenho certeza de que muitas pessoas querem ajudar e só esperam uma oportunidade", fala ressaltando que aceita qualquer tipo de doação, "pois mesmo que sejam usadas, para quem não tem nada, isso significa muito".

Ainda não foi escolhida a entidade que será beneficiada com esta campanha, mas nas próximas semanas, os dois estarão estudando a carência de cada um apresentada à eles para depois decidirem. "Nossa intenção é ajudar todos", fala Mourisso.

Quem quiser colaborar, pode entrar em contato com Mourisso através do telefone 857-247-8736.

Fonte: Brazilian Times