Publicado em 15/06/2012 as 12:00am

Brasileiro assume ser traficante de pessoas

Um deles depositou o dinheiro pago pelos imigrantes, em bancos no estado de Massachusetts, para comprar um barco que seria usado no transporte de indocuentados

Um deles depositou o dinheiro pago pelos imigrantes, em bancos no estado de Massachusetts, para comprar um barco que seria usado no transporte de indocuentados

@

da redação

Na quarta-feira (11), dois brasileiros assumiram a culpa na acusação de envolvimento no contrabando de imigrantes para os Estados Unidos, usando a Flórida como base para distribui-los pelo país. Eles foram ouvidos em tribunais federais separados.

Hebert Lourival de Almeida, 26 anos, admitiu ser culpado por até seis acusações de incentivar e induzir imigrantes a entrarem ilegalmente no país. Ele iria pegar seis brasileiros, incluindo uma criança no sul da Flórida e levá-los até Pompano Beach.

Agentes da Imigração filmaram Hebert pilotando um barco alugado, de 23 pés, de Pompano Beach para Bimini, nas Bahamas, onde pegou os brasileiros, no dia 16 de Abril deste ano. Os oficiais o interceptaram e entraram na embarcação. O acusado apresentou uma carteira de motorista da Flórida conseguida de forma fraudulenta.

Os agentes pegaram os ocupantes do barco, todos brasileiros, e os levaram para Port Everglades, onde foram interrogados. Quatro dos cinco passageiros foram presos por entrarem ilegalmente nos EUA.

Hebert disse aos policiais que havia alugado barco e que iria pegar os brasileiros em Bimini, os quais saíram do Brasil com escalas no Panamá e Nassau, nas Bahamas. Pelo menos duas pessoas iriam pagar entre U$14 mil e US$ mil (cerca de R$ 30 mil), assim que chegassem em segurança. Os demais pagariam apenas US$3 mil (pouco mais de R$ 6 mil). Os passageiros afirmaram, durante o interrogatório, que parte do dinheiro seria dado ao acusado.

Caso venha ser condenado, o brasileiro poderá pegar até 10 anos de prisão e terá que pagar uma multa de US$250 mil (R$ 500 mil), para cada delito. O julgamento de Heberth acontecerá no final deste ano, em um tribunal federal na cidade de Fort Lauderdale.

Um outro caso, que teve audiência no mesmo dia, foi com outro brasileiro. Juscelino Joaquim Dorneles, 36 anos, também assumiu a culpa da acusação de conspirar para traficar pessoas para os Estados Unidos, entre julho e dezembro de 2009. Ele admitiu que o dinheiro do contrabando foi depositado em bancos no estado de Massachusetts, o qual foi utilizado na compra de um barco para ajudar no contrabando.

Dorneles e outros acusados ajudavam os imigrantes a encontrarem alojamento no sul da Flórida para depois se mudarem para New Jersey e Massachusetts. Ele também pode pegar até 10 anos de prisão, caso venha ser condenado, além da multa de US$250 mil. O julgamento acontece, também, no final do ano em West Palm Beach.

Fonte: Brazilian Times