Publicado em 29/06/2012 as 12:00am

Brasileiro é condenado a 1 ano por agressão sexual

O brasileiro Luiz Scavone, de 20, assumiu a culpa pelas duas acusações de praticar atos obscenos e abusar sexualmente de uma menina de 15 anos, durante um cruzeiro de férias, em Fort Lauderdale, no final de 2011. O juiz Matthew Destry, determinou a senten

da redação

O brasileiro Luiz Scavone, de 20, assumiu a culpa pelas duas acusações de praticar atos obscenos e abusar sexualmente de uma menina de 15 anos, durante um cruzeiro de férias, em Fort Lauderdale, no final de 2011. O juiz Matthew Destry, determinou a sentença de um ano na cadeia de Broward County e o qualificou como um agressor sexual.

Assim que ele cumprir a pena, será iniciado o processo de deportação para o Brasil, conforme informou o advogado do brasileiro, Davind Bogenschutz, a um jornal norte-americano.

Segundo a acusação, o caso envolveu uma menina de 15 anos de idade, a qual estava em uma parte do navio destinada a adolescentes. Ela teria sido seduzida por dois homens, um de 20 anos e um jovem de 15, ambos brasileiros. Segundo relataram alguns jornais de língua inglesa que tiveram acesso aos processos, a vítima teria sido levada à uma cabine de passageiro e violentada sexualmente.

O escritório do xerife do Condado de Broward divulgou uma nota explicando que a vítima estava no clube para adolescentes e foi abordada pelo brasileiro mais novo, o qual lhe convidou para ir à sua cabine onde supostamente estaria havendo uma festa. "Ela o seguiu acreditando que encontraria alguns amigos lá", relatou.

Ao entrar na cabine, ela foi surpreendida por Luiz Scavone, 20 anos, e segundo as informações, os dois brasileiros a impediram de sair do local. O brasileiro de 15 anos teria tirado a roupa e obrigado a vítima a fazer sexo oral com ele e em seguida ambos a estupraram. "A adolescente tentou várias vezes fugir das investidas dos brasileiros, mas não conseguiu", citou o escritório do xerife.

A jovem de 15 anos concordou com a sentença de Scavone, de acordo com o "Sun Sentinel". Depois de deportado, se Scavone voltar para os Estados Unidos algum dia, ele terá que passar por supervisão de autoridades como um agressor sexual.

Fonte: Brazilian Times