Publicado em 2/07/2012 as 12:00am

Acidente cometido por brasileira aumenta força anti-imigrante em MA

Dois senadores em Massachusetts, que apoiam um projeto para aumentar a punição à quem dirigir sem carteira de motorista ressaltaram na quarta-feira (27), a necessidade da aprovação deste medida em caráter de urg&e

da redação

@

Dois senadores em Massachusetts, que apoiam um projeto para aumentar a punição à quem dirigir sem carteira de motorista ressaltaram na quarta-feira (27), a necessidade da aprovação deste medida em caráter de urgência.

Para isso, eles citaram o caso da brasileira Auricelli Braga, 32 anos, que causou um acidente de trânsito, em Canton, resultando na morte da chilena Sara Escudero, 64 anos. O fato da acusada estar dirigindo sem carteira de motorista e viver ilegalmente nos Estados Unidos, desde 2002, acirrou os ânimos daqueles que defendem o mesmo projeto.

A chilena Sara Escuredo vivia em Stoughton desde 1985 e já se naturalizou cidadão norte-americana. A vítima estava, em seu carro, a caminho do trabalho quando a brasileira causou o acidente.

O senador Bruce Tarr (R-Gloucester) disse que, apesar de Auricelli não ter carteira de motorista e viver ilegal no país, ela conseguiu registrar o veículo em seu nome, no ano de 2011. Para ele, este é um dos pontos que precisam ser alterados na legislação estadual, pois as pessoas "deveriam fazer o registro mediante a apresentação de uma driver´s license".

Em Massachusetts não há exigência de uma carteira de motorista ou prova de residência legal para que uma pessoa registre o seu veículo. "Se conseguíssemos mudar pelo menos este ponto, iríamos tirar do trânsito muitos imigrantes que não têm habilitação para dirigir", fala o senador Richard T. Moore (D-Uxbridge), outro incentivador do projeto.

Em uma nota de repúdio, os dois senadores comentaram o acidente causado pela brasileira:

"Mais uma vez aqueles que trilham o caminho certo são vítimas dos que estão errados. Este é mais um exemplo de que os senadores e deputados precisam agir com urgência. Nós precisamos impedir que quem vive aqui ilegalmente tenha os mesmos direitos dos nossos cidadãos, tais como saúde gratuita, educação e outros benefícios do Governo".

Entre os vários pontos citados no projeto, além de aumentar a punição para quem dirigir sem autorização, está a obrigatoriedade dos empregadores de checarem o "status" de seus funcionários, impedir que imigrantes indocumentados consiguam moradias sociais (pagas pelo Governo) ou se qualifiquem para o MassHealth (Plano de Saúde gratuito que todos têm acesso).

Fonte: Brazilian Times