Publicado em 23/07/2012 as 12:00am

Massachusetts "fecha" as portas para indocumentados

Os carros só serão registrados mediante apresentação de "status" legal no país

Os carros só serão registrados mediante apresentação de "status" legal no país

Luciano Sodré

Na sexta-feira (12), os legisladores de Massachusetts derrubaram o veto do governador Deval Patrick e mantiveram a "perseguição" à comunidade imigrante do estado. Com a vitória, os senadores e deputados conseguiram dar sequência à implantação de uma emenda que proibirá o registro de veículos sem a comprovação de residência legal nos Estados Unidos.

Os legisladores apresentaram, há algumas semanas, uma emenda orçamentária que solicitava maior rigor nas penas aplicadas à quem dirigir sem documentos e exigência de "status legal" para registrar um veículo. Mas o Governador vetou a emenda e encaminhou uma nova leitura pedindo que fosse retirada a exigência de legalidade.

Mas para que seu veto fosse mantido era preciso que obtivesse pelo menos 14 votos a favor. Mas ele conseguiu apenas 11, o que culminou na derrota do executivo e da comunidade imigrante. O governador assinará a emenda amanhã, dia 24, e o Motor Vehicle terá 60 dias para se adaptar às novas regras e treinar seus funcionários. Portanto, em dois meses ela entrará em vigor. "Isso afetará muito a comunidade brasileira e provocará um êxodo", afirma Fausto da Rocha, Conselheiro do Conselho de Representantes de Brasileiros no Exterior (CRBE).

Ele afirma que é impossível reverter a situação, haja vista que a medida não é inconstitucional. O conselheiro explica que o governador, baseado na Constituição do estado, tem o direito de vetar mais uma vez e os legisladores de derrubar mais uma vez. "O que vale é a palavra final dos senadores e deputados, por isso ficará muito difícil que estas novas regras sejam canceladas", acrescenta.

Além de obrigar o registro de veículos mediante a apresentação de "status legal", as multas e punições para quem dirigir sem carteira de motoristas aumentarão. "Quem emprestar um carro para alguém sem documento também será penalizado", explica. Mas a medida se aplica a apenas quem comprar carro e for fazer o seu registro após ela entrar em vigor.

O pastor Walter Mourisso, membro/suplente do CRBE ressalta que agora não "adianta chorar o leite derramado". O importante, segundo ele, é tentar encontrar o melhor caminho para resolver a situação. "Precisamos unir a comunidade e mostrar que as novas regras serão prejudiciais para a economia do estado", fala ressaltando que muitos imigrantes dependem de carro para trabalhar, além do grande número de empresários que atuam no ramo automobilístico e que poderão fechar as portas.

Mourisso ressalta que centenas de brasileiras trabalham na área de limpeza de casas e escritórios e poderão perder o emprego, "pois dependem dos carros". O pastor ressalta que apesar de parecer impossível, os imigrantes não podem perder a esperança, "pois só o fato de estarem nos Estados Unidos já é uma grande vitória".

O presidente da Central do Trabalhador Imigrante Brasileiro nos Estados Unidos (CTIB/US), Márcio Porto, iniciou um trabalho para divulgar os nomes dos senadores e deputados que "votaram contra os imigrantes". Desta forma, ele pretende alertar aos eleitores sobre em quem votar. "O eleitor que tem um vínculo com a comunidade imigrante deve se opor à esta medida e aos seus autores, dando a resposta nas urnas", fala.

Márcio ressalta que se não há como mudar a decisão, então o eleitorado deve fazer com que os senadores e deputados não permaneçam nos cargos para ver os resultados desta emenda. "Nossa força e nossa maior arma é o nosso voto", finaliza.

Fonte: Brazilian Times