Publicado em 27/07/2012 as 12:00am

Debate reúne ativistas e comunidade para discutir futuro do imigrante

Acoteceu na noite de quarta-feira (25), no Holiday Inn de Somerville, em Massachusetts, a quarta edição do Debate Político Comunitário promovido pelo Comitê Pró-Cidadania Unida. Este evento tem por finalidade fomentar as discussões sobre assuntos de inter

Luciano Sodré

Acoteceu na noite de quarta-feira (25), no Holiday Inn de Somerville, em Massachusetts, a quarta edição do Debate Político Comunitário promovido pelo Comitê Pró-Cidadania Unida. Este evento tem por finalidade fomentar as discussões sobre assuntos de interesse da comunidade, bem como traçar planos para buscar um futuro melhor.

Apesar de ter sido bastante divulgado em jornais e programas de rádio, a representação de membros da comunidade foi inferior ao que era esperado. Foi que disse o Conselheiro Fausto da Rocha, membro do Conselho de Representantes de Brasileiros no Exterior (CRBE). Ele ressalta que "não adianta apenas reclamar e criticar, mas sim ajudar a escrever a história e participar de eventos semelhantes".

Ele aponta ainda, que o momento é crítico, pois após os deputados e senadores terem vetado a proposta do governador do estado, Deval Patrick, de não exigir "status legal" para quem for registrar o seu carro, mostra que a maior dos políticos estão pendendo para o sentimento anti-imigrante.

Fausto fala que não adianta apenas usar jornais, programas de rádio ou ficar em grupos criticando a posição das pessoas ou reclamando que a vida não está fácil para o imigrante. "Estas pessoas que criticam deveriam se unir aos demais grupos e ajudar a formular ideias para que possamos evitar o pior", continua.

Neste evento, três palestrantes falaram de assuntos específicos, mas todos direcionados à comunidade brasileiro, não apenas em Massachusetts, mas em todo o país.

A ativista Cláudia Tamsky, coordenadora do Núcleo do Partido dos Trabalhadores (PT) em Boston, iniciou a parte de debate e afirmou que todos são imigrantes, independente da ideologia política. "Se nós não nos sentirmos no mesmo barco, jamais poderemos nos unir para fazer algo pelo nosso povo", fala ressaltando que a comunidade brasileira ainda não se encontrou para encontrar um caminho.

Cláudia também ressaltou que se o que é discutido em fóruns, debates e outros eventos, tem sido encaminhado às autoridades, tanto brasileira quanto norte-americana. "Não adianta ficarmos apenas de conversa e não agirmos", fala.

A palestrante também frisou que as reivindicações podem estar sendo encaminhadas pelo caminho errado. Para isso ela citou que muitos líderes comunitários estão encaminhando solicitações direto para a presidência da república e acabam esquecendo que existe uma secretaria criada exclusiva para intermediar este processo. "Devemos elaborar nossas propostas e analisar os meios certos de fazer elas chegarem até o destino", conclui.

O presidente da Central do Trabalhador Imigrante Brasileiro nos Estados Unidos (CTIB/US), Márcio Porto, parabenizou o evento e a maneira democrática como ele é conduzido. Ele destacou que a história dos brasileiros nos Estados Unidos pode ser recente, mas o papel da imigração no crescimento deste país foi fundamental. "Os imigrantes, independente de seu status, movimenta a economia através de gastos em supermercados, lojas, restaurantes, etc", explica.

Márcio afirma que os Estados Unidos nãos seria a grande potência se não tivesse uma história imigrante por trás. "Acredito que cada casa levantada, cada carro consertado, cada banheiro limpo, tem o dedo da nossa comunidade e os Estados Unidos devem reconhecer isso", fala salientando que isso só acontecerá quando todos se unirem e lutar pelos direitos.

Durante sua palestra Márcio ressaltou que para fortalecer o nome da comunidade é preciso muito mais do que união. Para ele, a imprensa se dividiu de tal maneira que promoveu uma discórdia entre as pessoas. "É inadmissível que pessoas usem horários de rádio ou folhas de jornal para criticar e não oferecer o caminho certo", se revolta.

O terceiro a usar a palavra foi o pastor Walter Mourisso, membro/suplente do Conselho de Representantes de Brasileiros no Exterior (CRBE), iniciou a palestra batendo na mesma tecla, que é a união da comunidade. "Não adianta estas reuniões, não adianta os programas de rádio criticarem determinadas pessoas ou atacar grupos, e sim promover a união e chamar estas pessoas para um movimento forte e único", fala.

Mourisso diz que não há com fortalecer uma comunidade sem haver união e "os líderes devem atentar para a importância da palavra". Ele destaca que um líder deve saber que já foi liderado um dia e deve estar aberto para ouvir as ideias e opiniões quanto à sua maneira de atuar. "Vamos juntos identificar as nossas lideranças a superar os conflites e diferenças", acrescenta.

O pastor disse, ainda, que existem muitos líderes bons na comunidade brasileira, mas não falam a mesma língua. "É ´preciso que todos tenhamos a mesma visão e saber onde queremos chegar, pois a partir dai passaremos para nosso povo o que ela precisa fazer para alcançarmos o nosso objetivo", continua.

Novamente ele ressaltou que ficar usando jornais e programas de rádio não é apenas o caminho e que todos deveriam estar presentes em eventos que promovam a cidadania e busca direitos dos imigrantes. "Vamos atrás da união", conclama todos os líderes e ativistas, "pois chegou a hora de descruzar realmente os braços. "Se a ideia é boa para a comunidade, mesmo que não tenha partido de mim, devemos abraçar a ideia", fala concluindo que muitos líderes acabam criticando a opinião de outras pessoas, pelo simples fato de ter ciúmes.

O pastor terminou o seu discurso propondo aos líderes que unam e promovam uma eleição sem vínculo com o governo brasileiro e criem uma comissão com respaldo de todas as entidades e da comunidade. Desta forma poderiam ser realizados reuniões sem a necessidade de esperar o Itamaraty decidir qual o dia certo. Para ele, cada entidade poderia indicar um representante e desta forma criar esta comissão.

O vídeo completo pode ser visto no site www.radiobttv.com

www.radiobttv.com

Fonte: Brazilian Times