Publicado em 20/08/2012 as 12:00am

Brasileiro morre no metrô a caminho do trabalho em NY

O pedreiro Carlos da Silva, de 63 anos, natural de Poços de Calda (MG), passou mal quando ia para o trabalho no interior de um trem do metrô nova-iorquino

O pedreiro Carlos da Silva, de 63 anos, natural de Poços de Calda (MG), passou mal quando ia para o trabalho no interior de um trem do metrô nova-iorquino

da redação

Na manhã de quinta-feira (16), um infarto fulminante matou o imigrante Carlos da Silva, de 63 anos, natural de Poços de Caldas (MG), residente no município de Lyndhusrt (NJ). Segundo fontes, o brasileiro, que trabalhava na construção civil, passou mal no interior de um trem do metrô em New York, quando se dirigia ao trabalho. Um colega de trabalho de Carlos ligou para um de seus amigos em New Jersey e relatou o trágico incidente, que ocorreu aproximadamente às 7 horas da manhã. Ele chegou a ser levado com vida a um hospital local, entretanto, não resistiu.

Carlos deixou uma filha casada no Brasil, sua companheira, conhecida como Dona Dayse, e um filho, João Carlos da Silva, ambos residentes nos Estados Unidos. Ele também tinha outra filha, falecida no Brasil.

"Ele era uma pessoa bastante alegre, tinha muitos amigos e gostava de música caipira. O Carlão era um caipira urbano", comentou Paulinho, amigo de Silva há mais de 15 anos.

A morte súbita do brasileiro chocou a comunidade brasileira no Ironbound, onde Carlos era bastante popular.

Segundo amigos, Carlos se queixava com frequência de uma "queimação" no abdômen e fortes dores nos braços, que geralmente duravam 1 minuto. Popular na comunidade brasileira do bairro do Ironbound, em Newark (NJ), ele morava há mais de duas décadas nos Estados Unidos e frequentava o bar brasileiro Boca Louca, na Pulaski St.

Familiares do brasileiro ainda aguardam o laudo da autopsia que, provavelmente, será emitido pelas autoridades nova-iorquinas nos próximos dias.

Abalados com a morte súbita de Silva, amigos organizaram uma campanha beneficente de arrecadação de fundos em prol do velório e cremação do brasileiro, cujas cinzas serão levadas ao Brasil no final do ano. Foi posta uma caixa de coleta de doações no bar Boca Louca, na 90 Pulaski St., no Ironbound, próximo ao East Side High School.

Mais informações sobre a campanha podem ser obtidas através do tel.: (973) 703-9550, falar com Paulo, e (973) 906-6329, falar com João Carlos.

Fonte: Brazilian Voice