Publicado em 20/08/2012 as 12:00am

Mais de 100 pessoas comparecem a Fórum do GMB

A advogada Nancy Kelly e o advogado John Willshire passaram mais de três horas repassando os requisitos, os documentos e os formulários, questão por questão, e respondendo a dezenas de perguntas

A advogada Nancy Kelly e o advogado John Willshire passaram mais de três horas repassando os requisitos, os documentos e os formulários, questão por questão, e respondendo a dezenas de perguntas

da redação

Apenas dois dias após a abertura do período para requerer Deferred Action, ou Ação Deferida, o benefício anunciado pelo Presidente Obama em 15 de junho último para legalizar estudantes indocumentados, o Departamento de Imigração e Cidadania (USCIS) reuniu lideranças comunitárias e a comunidade para explicar novamente o processo e responder perguntas dos estudantes e suas famílias. "Está claro que eles querem que isto funcione", comentou um dos presentes. Na verdade, a cena não deixava de ser um pouco surrealista: pessoas indocumentadas dialogando calmamente com o diretor geral do distrito de Boston, DenisRiordan.

"Nós queremos que quem pode se beneficiar, requeira" (o benefício), disse Dennis, que nos últimos dois meses já se reuniu várias vezes com as organizações comunitárias, entre elas o Grupo Mulher Brasileira, com quem fechou parceria no intuito de atender o maior número de pessoas. Durante a reunião, foi dito que um centro em Chicago preparou-se para atender 1.500 pessoas mas recebeu 12.000.

Na quinta-feira à noite, mais de 100 pessoas lotaram as dependências do Grupo Mulher Brasileira, que, em parceria com Greater Boston Legal Services, MIRA e MAPS, promoveu um segundo forum informativo. A advogada Nancy Kelly e o advogado John Willshire passaram mais de três horas repassando os requisitos, os documentos e os formulários, questão por questão, e respondendo a dezenas de perguntas. Marcony Almeida, da MIRA, reuniu em outra sala um outro grupo que preferiu ouvir as explicações em português.

Ëles são ótimos", comentou uma mãe, encantada com a disposicação dos advogados e satisfeita por obter respostas para suas perguntas. A partir de primeiro de setembro, o GMB vai promover pelo menos três clínicas onde os advogados vão orientar sobre o preenchimento dos formulários e a documentação que deve ser anexada. A taxa cobrada pelo USCIS é no valor de $465, existe uma possibilidade muito pequena de pedir isenção da taxa, mas processos negados não poderão ser apelados, mas processos devolvidos pela imigração poderão ser revistos.

O diretor do Distrito de Boston reforçou mais uma vez que qualquer tentativa de fraude para comprovar qualificação será reportada para a imigração (ICE). No entanto, ele incentivou os estudantes a requererem e pediu confiança "no Presidente, no Departamento de Segurança Interna, na Imigração, nas agências comunitárias e, principalmente na comunidade". Denisfêz a declaração em resposta à pergunta de um estudante: "Muitos estão com medo. O que será feito com a informação que vocês vão ter sobre a gente?".

As lideranças e os advogados presentes concordaram que quando o governo concede um benefício desse tipo ele não usa a infomação para ir atrás de familiares ou outras pessoas envolvidas no processo. "Temos de confiar", frisou Dennis, confirmando no entanto que estudantes que têm antecedentes criminais e foram presos por algum motivo, devem procurar um advogado criminal para esclarecer a situação. O fato de que um ou uma estudante foi preso na fronteira quando entrou nos Estados Unidos não desqualifica, tão pouco desqualifica quem teve processo negado pela imigração anteriormente. "Isto é uma vantagem", disse Dennis, "não desvantagem porque ajuda a comprovar que você estava aqui".

Advogados e lideranças presentes acrescentaram ser preciso ter criatividade e pensar com cabeça aberta na hora de juntar documento que comprove que o requerente vive nos Estados Unidos há pelo menos 5 anos e chegou com menos de 16 anos. "Você tem um cartão da biblioteca? Cartão de loja? Foi ao médico. Pense, abra as possibilidades".

Várias clínicas estão acontecendo nos próximos dias para informar e orientar os estudantes. A primeira será na terça-feira, dia 21, às 17:30 horas, no GBLS (150 Friend St., Boston). GBLS também instalou uma linha direta de informação, 617-603-1627. O Grupo Mulher Brasileira vai anunciar todas as clínicas em seu site, www.verdeamarelo.org e no programa de rádio Estação Mulher, que vai ao ar todo sábado, das 11 às 12 horas, na WJDA 1300 AM.

Fonte: Brazilian Times