Publicado em 5/09/2012 as 12:00am

Mourisso quer cria Conselho de Cidadãos em Massachusetts

Através de um ofício encaminhado ao Consulado-Geral do Brasil em Boston (Massachusetts), o pastor Walter Mourisso solicitou uma audiência com o Cônsul Fernando de Melo Barreto. O objetivo é discutir a possível criação do Conselho de Cidadãos no estado. "

Luciano Sodré

Através de um ofício encaminhado ao Consulado-Geral do Brasil em Boston (Massachusetts), o pastor Walter Mourisso solicitou uma audiência com o Cônsul Fernando de Melo Barreto. O objetivo é discutir a possível criação do Conselho de Cidadãos no estado. "Algumas cidades na Europa já o implantaram e vem dando certo, pois proporcionou uma proximidade entre a comunidade e as autoridades brasileiras", explica.

O Conselho de Cidadãos foi uma iniciativa do Governo Brasileiro, criada em 1997, e mesmo vinculada ao Estado, ele é independente dos órgãos oficiais. Segundo Mourisso, funciona como foro informal, sem vínculo político e sem fins lucrativos. "O Conselho tem como finalidade servir de mediador na comunicação entre a comunidade e o Setor Consular, da mesma forma entre os brasileiros e as autoridades locais", fala.

Além de ser um intermediário da comunidade brasileira, o Conselho serve como ponto de apoio, atendendo a comunidade até mesmo na simples troca de informações, como por exemplo contatos de profissionais liberais de diversas áreas e serviços na língua portuguesa, instituições públicas, etc.

Mourisso cita o Conselho de Cidadãos criado em Berlim, na Alemanha, que realiza reuniões na própria embaixada do Brasil, com total apoio consular, e que são abertas a todos os brasileiros. "Desta forma as pessoas têm um espaço para expressar suas opiniões e os conselheiros ficarão responsáveis em repassá-las às autoridades competentes", salienta.

Quanto ao CRBE, Mourisso ressalta que o número de membros é bem inferior ao que seria preciso para atender a demanda da comunidade. "Quatro conselheiros não conseguem cuidar dos mais de um milhão de brasileiros que vivem nos Estados Unidos e mais o Canadá, México e Caribe", explica reforçando a necessidade do Conselho de Cidadãos.

Mourisso disse que está aguardando uma resposta do e-mail enviado ao Consulado e que assim que tiver uma posição, marcará uma reunião com demais ativistas, líderes religiosos, comunitários e representantes de ONGs para que todos participem desta reunião e decidam sobre a criação do Conselho.

Fonte: Brazilian Times