Publicado em 7/09/2012 as 12:00am

Produtor fala da carreira e planos para o futuro

Talvez você nunca tenha escutado falar o nome Alsiomário Oliveira Souza, mas deve conhecer o Zinho

Talvez você nunca tenha escutado falar o nome Alsiomário Oliveira Souza, mas deve conhecer o Zinho

Wolfgang Tomich

Um dos promotores de grandes shows que continua se destacando nos Estados Unidos é Zinho, que neste final de semana chega à Boston com novidades. Natural de Eunápolis, na Bahia, ele conversou com a equipe de reportagem do Brazilian Times e falou de sua carreira e quais os planos para o futuro.

BRAZILIAN TIMES - como surgiu o desejo de trabalhar com artistas? Você já foi músico?

ZINHO- Quando eu tinha 18 anos de idade realizei um evento em minha cidade e foi a partir de então que comecei a pegar gosto pela coisa. Depois de muitos anos, um amigo de infância montou uma banda de forró e me convidou para ser o produtor. Aceitei e fui gostando cada vez mais do desafio e logo me tornei empresário de artistas.

BRAZILIAN TIMES - Qual foi o primeiro artista ou banda que você empresariou?

ZINHO - A banda Arriba Saia

BRAZILIAN TIMES - Além delas, quais outras você já empresariou?

ZINHO - Gian e Giovane, KLB, Cristiano Araújo, Nadila, Banda Djavu, Cavaleiros do Forró, Trem Bala, Carlos e Jader, João Lucas e Marcelo, Marcus e Belutte, entre outros.

BRAZILIAN TIMES - Como aconteceu o seu primeiro convite para fazer uma turnê internacional e quem foi o artista?

ZINHO - A primeira vez foi com o forró Arriba Saia, e foi a convite do produtor carlos Silva, da Ipanema Productions.

BRAZILIAN TIMES - Como é levar artistas para um país que não fala português?

ZINHO - É simples! É a mesma coisa que um artista de outro país realizar um show no Brasil. As pessoas curtem a música dele e é só tocar que a comunicação começa.

BRAZILIAN TIMES - Em suas viagens pelo mundo, você aproveita para despertar o lado consumista?

ZINHO - Eu viajo muito e já fui para vários países, como Ângola, cabo Verde, Espanha, Portugal, Holanda, Inglaterra, Suíça, França. Alemanha, Itália, Bolívia, peru, Estados Unidos, etc. É lógico que aproveitamos oportunidade de comprar novidades e itens baratos.

BRAZILIAN TIMES - Você tem vindo muito aos EUA com artistas para trabalhar com a Ipanema Productions? Como surgiu sua parceria com Carlos Silva?

ZINHO - Sim! Essa parceria surgiu em 2004, com o forró Arriba Saia. Depois não paramos mais, porque sempre procuro trabalhar com o Carlos, que considero uma pessoa muito competente e um dos melhores profissionais da área nos Estados Unidos.

BRAZILIAN TIMES - Você poderia adiantar qual o próximo artista você trará aos EUA?

ZINHO - Agora, no mês de setembro, Nadila e Banda Djavu estarão se apresentando para os brasileiros. Em novembro será a vez de Cristiano Araújo.

BRAZILIAN TIMES - Como você lida com a distância da família?

ZINHO - Essa é a pior parte, pois ficar longe da família as vezes provoca uma saudade sem cura. tenho um filho de 14 anos e sinto muita falta dele quando viajo.

BRAZILIAN TIMES - Geralmente, os artistas são os desejados pelas fãs. Já aconteceu de você levar alguma cantada?

ZINHO - Sim! Ás vezes por eu estar sempre próximo de artistas, isso acaba acontecendo.

BRAZILIAN TIMES - Depois de trazer tanta alegria para a comunidade brasileira nos EUA, deixe uma mensagem?

ZINHO - Essa comunidade é o público mais maravilhoso que eu conheço. É um público de gente honesta, que trabalha e rala muito para subir na vida e consegue acima de tudo vencer a saudade dos parentes que estão no Brasil. É muito gratificante quando podemos levar um show e fazer com que cada brasileiro mate um pouco desta saudade. Digo a cada um, acreditem em seus sonhos, pois eles podem se tornar realidade, só depende de você.

Fonte: Brazilian Times