Publicado em 11/09/2012 as 12:00am

Brasileiro morre ao se jogar na frente de veículos na I-95

O mineiro de Diamantina, Geraldo Libório, de 28 anos de idade, morreu depois de se jogar na frente de aloguns veículos e ser atropelado na Internestadual 95 (I-95). Ele residia havia um ano na cidade de Bridgeport (Connecticut) e segundo algumas pessoas p

O mineiro de Diamantina, Geraldo Libório, de 28 anos de idade, morreu depois de se jogar na frente de aloguns veículos e ser atropelado na Internestadual 95 (I-95). Ele residia havia um ano na cidade de Bridgeport (Connecticut) e segundo algumas pessoas próximas, estaria passando por problemas pessoais e apresentava sofrer de depressão.

Segundo as informações coletadas, Geraldo morou neste país há alguns anos, tendo entrado pelo México. Mas depois decidiu retornar ao Brasil e como não se adaptou, conseguiu um visto e retornou aos EUA. Isso aconteceu há cerca de dez meses e ele escolheu Bridgeport para fixar residência.

Algumas pessoas acreditam que o suicídio foi em razão dele ter tentando forjar um casamento com uma brasileira cidadã norte-americana, pagando por isso, mas como foi tudo muito rápido, os agentes da Imigração acabaram desconfiando e colocando dificuldade para que o Green Card fosse liberado através do matrimônio.

Já na primeira entrevista, segundo conhecidos de Geraldo, os agentes ficaram desconfiados e exigiram mais provas. Com isso ele começou a ficar prepocupado e entrou em depressão.

Outras testemunhas que procuram esta colunista, informaram que o rapaz apresentou documentação do seu irmão para casar-se e por isso a brasileira optou por cancelar tudo. Por isso, ele não sabia mais o que fazer e comecou a sofrer com isso.

Além disso tudo, Geraldo enfrentava problemas pessoais, brigas com ex-namoradas e outros problemas que foram minando sua resistência mental. Mas o que realmente afetou e o levou a entrar em uma forte depressão, foi a desconfiança dos agentes, pois ele não sabia se conseguiria o documento.

Os investigadores de polícia estão analisando todas as provas e coletando informações para levar as explicações de um provável suicídio ou descuido ao atravessar a rodovia.

O corpo do brasileiro, praticamente irreconhecível, foi cremado no dia 07 de maio.

Fonte: Brazilian Times