Publicado em 21/09/2012 as 12:00am

Artistas brasileiros ajudam educar crianças através de bonecos

A Puppetmania nasceu em 2006 com o objetivo de atender eventos voltados para crianças e apresentações de histórias e bonecos. O grupo é composto por Edna Gubert ( artista plástica, atriz e contadora de histórias) @e Catarina Honey ( atriz ) reunidas pela

  da redação

A Puppetmania nasceu em 2006 com o objetivo de atender eventos voltados para crianças e apresentações de histórias e bonecos. O grupo é composto por Edna Gubert ( artista plástica, atriz e contadora de histórias) e Catarina Honey ( atriz ) reunidas pela paixão da arte de contar histórias e bonecos.

Dirigido por Jorge Daniel (diretor, ator e roteirista) , a trupe tem se especializado em eventos para as crianças da comunidade brasileira.

O primeiro projeto de Puppetmania, "Era uma vez uma sucata que virou história", foi desenvolvido durante 12 meses na Biblioteca de Framingham, em Massachusetts.

"A seguir, montamos Era uma vez..., uma coletânea de alguns clássicos da literatura infantil", fala Edna.

Alguns dizem que o grupo conta histórias, outros dizem que faz teatro de bonecos. "Quando faço teatro de bonecos, dizem que conto histórias. Quando me perguntam o que faço, digo que não sei. Pensei que fosse a mesma coisa. Oh, santo equívoco das interpretações perdidas", explica.

Edna é uma pessoa que acredita na magia, na fantasia, no lúdico, na imaginação e não faz um espetáculo pensando em educação moral. "Eu conto histórias porque é divertido. Tanto faz se estou numa praça, num teatro ou numa sala de aula, numa feira ou numa biblioteca. Não me incomoda se o público (criança, jovem ou adulto) é de meia dúzia ou de seiscentos. Ou ainda se as suas necessidades especiais são físicas, intelectuais, sociais. O que quero é encantar", salienta.

O que ela quer é contar histórias de forma sensível, amorosa e acolhedora, promovendo a perpetuação da arte e a celebração da vida. Ela explica que contar histórias para crianças é poder sorrir, gargalhar com as situações vividas pelos personagens. "É através das histórias da literatura infantil, que as crianças descobrem outros lugares, outros tempos, outro jeito de viver, de agir e de ser", continua.

O projeto do grupo tem o objetivo de levar a literatura, música, folclore e arte brasileira para as crianças, contribuindo para a preservação da cultura, inclusive do idioma. Além de ser um projeto voluntário, sem fins lucrativos.

O Tapete de Histórias será apresentado dia 22 de setembro às 10 horas na Biblioteca de Framingham. "É uma viagem ao mundo encantado e começa assim: Era uma vez um tapete voador que caiu em cima de minha cabeça. Um tapete todos conhecem, existem tapetes de todos os tipos, e são usadas para muitas finalidades... mas este tapete voava e trouxe com ele bonecos, poesias, emoções, sonhos e fantasias de muitas histórias", explica.

Não deixe de ver um tapete, 15 bonecos, 09 histórias, 09 cartões, que numerados para que a plateia possa escolher qual a história que quer assistir.

As histórias são narradas a partir da escolha de um cartão pela plateia. Esse cartão contém uma história que será encenada e o público poderá viajar no mundo da imaginação.

Para mais informações, entre em contato com Edna Maria Gubert, através do telefone (617) 803-9424

Fonte: Brazilian Times