Publicado em 1/10/2012 as 12:00am

Acusado de matar família brasileira nos EUA depõe

Vanderlei Szczepanik, mulher dele e filho de 7 anos foram mortos em 2009. Três brasileiros que trabalhavam com ele são acusados pelo crime.

Vanderlei Szczepanik, mulher dele e filho de 7 anos foram mortos em 2009.
Três brasileiros que trabalhavam com ele são acusados pelo crime.

Um dos homens acusados de matar uma família brasileira que vivia nos Estados Unidos, em 2009, depôs nesta sexta-feira (28) no quarto dia do julgamento em Omaha, no estado do Missouri.

Valdeir Gonçalves Santos, fez um acordo com a promotoria para testemunhar contra os dois acusados, José Oliveira Coutinho e Elias Lourenço Batista, em troca de uma possível redução na pena.

Os três brasileiros acusados pelo crime trabalhavam para Vanderlei Szczepanik na reforma de uma escola ligada à igreja à qual eram filiados.

De acordo com o site Omaha.com, num depoimento de quatro horas, Gonçalves chorou todas as vezes que foram mencionados os nomes de Vanderlei, a mulher dele, Jaqueline, e o filho de 7 anos do casal, Christopher.

Na versão de Gonçalves, ele e Elias Loureço Batista foram convencidos por José Oliveira Coutinho, que trabalhava com Vanderlei Szczepanik, a se mudarem para os EUA para trabalhar na construção de uma escola.

O caso

No final de 2009, ele disse ter percebido que Oliveira estava furioso com o amigo Szczepanik por ter recebido pagamentos menores que o combinado. "Ele sempre dizia que queria matar o Vanderlei e me perguntava: ‘Você vai me ajudar?’", disse, segundo o jornal.

Segundo Gonçalves, no dia combinado, ele acertou Szczepanik com uma barra de ferro na cabeça, enquanto Elias o atingiu com um bastão de beisebol.

A mulher do brasileiro, Jaqueline, teria ouvido os gritos do marido e chegou ao local. Os dois, então, levaram a mulher e o filho de 7 anos do casal para o quarto de Oliveira, onde fizeram ela entregar o chip do celular e assinar diversos cheques.

Mãe e filho tiveram as mãos amarradas e a cabeça coberta. Após serem enforcados por Elias, os corpos dos três foram colocados na van de Oliveira e, mais tarde, jogados no rio Missouri.

A desconfiança sobre os três foi gerada após cartões de crédito da família terem sido usados depois do desaparecimento.

Fonte: Braziliantimes