Publicado em 1/10/2012 as 12:00am

Brasileira passa em exame para advogada

Já licenciada no Brasil, a advogada Danielle Nascimento se interessou em estudar o direito norte-americano e cursou um L.L.M. em Suffolk Law em Leis Globais e Tecnologia, com foco em leis internacionais em negócios, e fez outros cursos relevantes, como le

DA REDAÇÃO

Já licenciada no Brasil, a advogada Danielle Nascimento se interessou em estudar o direito norte-americano e cursou um L.L.M. em Suffolk Law em Leis Globais e Tecnologia, com foco em leis internacionais em negócios, e fez outros cursos relevantes, como leis de imigração e relações internacionais.

Danielle tem sido de grande valia principalmente a comunidade brasileira, entre outras nacionalidades, e conseguiu em apenas poucos meses de prática jurídica profissional a difícil tarefa de ter três casos de pedidos de asilo deferidos. Algo raro até mesmo para advogados com anos de prática.

Em uma entrevista ao Brazilian Times, ela falou sobre leis de imigração e oportunidades para brasileiros.

BRAZILIAN TIMES - Como você se interessou em estudar leis de imigração?

Danielle Nascimento - Como imigrante, eu percebi que existia uma falta de profissionais na comunidade brasileira especializados na área e muita gente precisando de orientação.

BT - Você tem apenas alguns meses de prática jurídica após passar no difícil exame do BAR, em New York. Porém, você já carrega uma bagagem de sucesso em muitos casos de direito de família e imigração, incluindo 3 casos de asilo deferidos. Como você conseguiu fazer isso?

DN - Apesar de ter passado na prova em 2011, eu trabalho na área de imigração e família desde 2008. Além disso, tive a oportunidade de fazer um curso especializado em imigração durante o mestrado aqui nos EUA.

BT - O que você mais aprecia em seu trabalho?

DN - A possibilidade de saber que fiz a diferença na vida de várias pessoas.

BT - Como foi sua experiência de estudar direito nos EUA após ter estudado no Brasil?

DN - Existe uma grande diferença nos cursos de direito no Brasil e EUA. Estudar em uma nova língua foi bastante desafiador. Amo o que faço e não me imagino em outra profissão.

Independente do tipo de caso, Danielle faz sempre questão de preparar os clientes pessoalmente e tem a preocupação em dar total apoio a todos.

Respondendo às perguntas sobre asilo, ela afirma que os casos são difíceis, trabalhosos e muito subjetivos. O fato de os casos serem analisados individualmente requer a apresentação de extensa documentação, além de um bom preparo dos clientes para se assegurar de que eles estarão calmos e seguros perante ao juiz enquanto contam sua história pela última vez no país.

No escritório onde ela trabalha, a equipe fala inglês, português e espanhol. "É uma boa maneira de dar uma atenção melhor aos clientes e verificar quais são suas reais necessidades dando-lhes a oportunidade de contarem suas histórias de maneira mais à vontade, em suas línguas maternas", explica.

Para entrar em contato com a advogada, os interessados podem ligar para o telefone (617) 413-1244.

Para agendar consultas, pode-se entrar em contato com o escritório através do e-mail jpm@macmurrayassociates.com.

Fonte: Braziliantimes