Publicado em 26/10/2012 as 12:00am

Estelionatário lesa campanha de Filipe

No início desta semana, a comunidade brasileira foi pega de surpresa com a notícia de que uma certa quantia em dinheiro teria sido roubada da conta usada para a campanha em prol do menino Filipe Wolf. Ele se tornou conhecido e querido entre os brasileiros

 da redação

No início desta semana, a comunidade brasileira foi pega de surpresa com a notícia de que uma certa quantia em dinheiro teria sido roubada da conta usada para a campanha em prol do menino Filipe Wolf. Ele se tornou conhecido e querido entre os brasileiros, principalmente em Massachusetts, depois que a mídia mostrou sua luta e de seus pais contra uma doença rara que pode matá-lo.

Em uma conversa emocionante, e bastante abalado, o pai do menino, Guilherme Wolf, contou como tudo aconteceu e como o criminoso se aproximou da família "vestido em pele de cordeiro".

Segundo Guilherme, a quantia roubada não foi muito em comparação ao que já foi arrecadado na campanha, "mas o tempo perdido com ele foi muito mais prejudicial, pois colocou em risco a vida do menino". O pai e a comunidade que ficou sabendo da história está abalada com a falta de humanidade de um criminoso se aproveitar de uma criança doente.

Durante a entrevista, Guilherme contou que foi procurado pelo suposto "amigo" no dia 14 de fevereiro deste ano. Identificado por Gilson Guimarães Ramos, ele teria se apresentando à família como um empresário de grande influência e que estaria disposto a cobrir o valor que faltar no tratamento de Filipe.

A princípio, a família e todos os envolvidos na campanha ficaram eufóricos, pois surgia ali uma esperança para que Filipe continuasse vivo e tivesse uma infância normal. Para todos, a suposta ajuda oferecida pelo então empresário será a salvação do menino e tudo estava caminhando para um final feliz.

O tempo foi passando e Gilson foi ficando mais próximo, ganhando a confiança de todos. Guilherme o considera um amigo e parte da família. "Eu jamais esperava que ele fosse capaz de fazer isso", disse.

Depois de ganhar a confiança dos pais e alguns membros da campanha, Gilson foi até o Children´s Hospital e se apresentou como interlocutor da família e como o empresário que cobriria o que faltasse do tratamento de Filipe. Dono de uma forte lábia, ele conseguiu convencer até a direção do hospital, tendo se reunido diversas vezes com o departamento financeiro para tratar dos valores que deveria ser de sua parte.

Mas com o passa do tempo, a máscara foi caindo e Gilson, que anteriormente era uma figura sempre presente na casa de Guilherme, foi se tornando cada vez mais ausente. Até que a direção do hospital informou ao pai que por várias vezes o suposto empresário teria marcado de pagar parte do tratamento e não cumprido.

Guilherme disse que ao conversar com Gilson, ele sempre tinha uma desculpa pronta e seu forte domínio da palavra acabavam convencendo a todos. Mas a direção do Children´s Hospital já estava impaciente, pois o dito "falastrão" não cumpria nenhum compromisso assumido.

Mas em dado momento, Gilson pediu à Guilherme um empréstimo no valor de R$ 6.500,00 (pouco mais de R$ 13 mil). O dinheiro foi transferido de uma conta usada para custear as despesas pessoais da família. O pai não desconfiou de nada, pois o golpista o teria convencido de que esse empréstimo poderia render muito mais para a campanha.

Guilherme explica que foi uma pessoa ingênua, mas devido estar "cego, com seus pensamentos voltados para salvar a vida do filho". O tempo passou, Gilson não cumpria os compromissos assumidos com o Children´s Hospital e tampouco devolvia o dinheiro do empréstimo.

Desconfiado, Guilherme foi atrás para saber o que estava acontecendo e para a sua surpresa, descobriu mais pessoas que foram lesadas pelo estelionatário. A descoberta abalou emocionalmente toda a família, que precisou ser amparada pelos amigos mais próximos. Com voz presa e emocionado, o pai disse à redação do BT que "que foi ingênuo sim, mas porque seu único objetivo é salvar a vida do filho e todas as portas que se abrem são vistas como uma esperança".

Depois que a notícia chegou à mídia, uma membro da campanha, que preferiu ter o seu nome mantido em sigilo, recebe ameaças, indiretamente. O acusado teria ligado para Guilherme e ameaçado a vida dela, caso ela continuasse divulgando na mídia o que ele tinha feito. "Nós temos esta conversa gravada", fala Guilherme, que com a ajuda de amigos já acionou a polícia e está enviando a denúncia para o FBI.

A família tem poucas informações sobre a vida de Gilson. Mas ele é de Governador Valadares, o dinheiro transferido da conta de Guilherme foi para um cunhado dele, que disse não saber de nada. "O rapaz apenas fez um cheque e entregou para que a namorada do acusado fosse sacar o dinheiro", disse Guilherme.

A CAMPANHA

A campanha para ajudar o menino Filipe continua e a família está à disposição para responder as dúvidas das pessoas e informar o que já foi arrecadado. Os balancetes estão expostos no site www.helpfilipe.com. Os interessados em ajudar ou obter mais informações é só entrar em contato com ele (Guilherme) e sua esposa, Évelyn Wolff, através do telefone (857) 237-0521

www.helpfilipe.com. Os interessados em ajudar ou obter mais informações é só entrar em contato com ele (Guilherme) e sua esposa, Évelyn Wolff, através do telefone (857) 237-0521

Fonte: Brazilian Times