Publicado em 21/11/2012 as 12:00am

Governo de MA anuncia benefícios para alguns imigrantes

Uma nova iniciativa para proporcionar a faculdade mais acessível para alguns imigrantes indocumentados em Massachusetts foi tomada pelo governador Deval Patrick. Esta é uma questão que tem sido discutido há muitos anos pelos moradores do estado: "Devemos

Uma nova iniciativa para proporcionar a faculdade mais acessível para alguns imigrantes indocumentados em Massachusetts foi tomada pelo governador Deval Patrick. Esta é uma questão que tem sido discutido há muitos anos pelos moradores do estado: "Devemos permitir que os filhos de imigrantes possam pagar as mesmas taxas que os nosso filhos em escolas estaduais?"

Em 2004, os legisladores aprovaram uma lei que faria justamente isso, mas o então governador Mitt Romney vetou. Um ano depois o Senado aprovou um projeto semelhante, mas fracassou ao ser entregue para os deputados. Com o surgimento dos problemas econômicos o assunto foi deixado de lado.

Mas agora, trabalhando fora de um programa, o governador Deval Patrick fez isso acontecer sem o aval dos legisladores. Com a decisão, os estudantes indocumentados pagarão menos para cursar uma universidade estadual. Por exemplo, na UMass Amherst, um aluno para residente paga US$13 mil por ano, enquanto que um estudante sem residência com "status" imigratória ilegal tem que pagar US$27 mil.

O brasileiro Filipe Zamborlini, que chegou aos Estados Unidos quando ainda tinha 12 anos de idade, disse que se considera um cidadão norte-americano em todos os sentidos, mesmo não tendo residência legal.

Desde que chegou ao país, Filipe viveu como um imigrante indocumentado, sem direito a ma carteira de motorista, cartão do Social Security e impedido de obter taxas menores em matrículas e mensalidades nas faculdades do estado. Ele foi obrigado a deixar os estudos porque acumulou uma dívida de US$ 45 mil na UMass Boston.

Hoje ele já planeja seu retorno para a faculdade, pois além da Ordem Executiva assinada pelo presidente Barack Obama (DACA), governadores de vários estados tem lutado para ajudar os estudantes indocumentados que não se encaixam nas normas da medida presidencial.

No caso de Filipe, ele está entre os estudantes que se encaixaram nas exigências e aplicaram para receber a Autorização de Trabalho e por isso ficam "legais" no país pelo período de dois anos com chances de renovação.

Fonte: Brazilian Times