Publicado em 26/11/2012 as 12:00am

Médicos desligam aparelhos que mantêm brasileiro vivo

Na manhã de quinta-feira (22), o paranaense Paulo Ricardo Tambosi Ribeiro, 41 anos, morreu depois que os médicos desligaram os aparelhos que o mantinham vivo. Ele era natural de Curitiba, vivia em Newark (New Jersey) e estava internado, em coma, após sofr

da redação

Na manhã de quinta-feira (22), o paranaense Paulo Ricardo Tambosi Ribeiro, 41 anos, morreu depois que os médicos desligaram os aparelhos que o mantinham vivo. Ele era natural de Curitiba, vivia em Newark (New Jersey) e estava internado, em coma, após sofrer um ataque cardíaco seguido por um derrame cerebral.

Segundo os médicos, o estado do brasileiros era irreversível e que antes de desligarem os aparelhos, eles pediram autorização para os familiares, no Brasil. Isso aconteceu na quarta-feira (21) e no dia seguinte, por volta das 4 horas, comunicaram o falecimento aos parentes.

Segundo um jornal local, os médicos informaram que 50% dos neurônios do brasileiro ficaram comprometidos pelo derrame e que ele seria obrigado a usar uma cadeira de rodas, em caso de recuperação.

A HISTÓRIA

No dia 4 de setembro, o brasileiro sofreu um ataque cardíaco e logo em seguida um derrame cerebral, logo após terminar o seu turno como guarda noturno da empresa CAC International. Ele foi levado para o hospital e ficou em coma induzido.

Paulo vivia há 13 anos nos Estados Unidos e por alguns anos trabalhou como operário em manutenção de pontes e viadutos. Mas depois de sofrer um acidente e ferir sua coluna, ela não pode mais fazer força e por isso foi obrigado a deixar o serviço e procurar algo mais leve que não prejudicasse a sua saúde.

Fonte: Brazilian Times