Publicado em 30/11/2012 as 12:00am

Corpo de brasileiro ainda nao foi enviado ao Brasil

Família planeja fazer velório e sepultamento na próxima terça-feira (3) Marcelo Rugini, 24, morreu em acidente de avião no Maine no dia 16.

Mais de uma semana após ser liberado pela polícia nos Estados Unidos, o corpo do estudante gaúcho morto em um acidente de avião no estado do Maine, no dia 16, deve chegar na próxima segunda-feira (3 de dezembro) ao Rio Grande do Sul. A família espera realizar o velório e sepultamento de Marcelo Rugini no dia seguinte, em Muliterno, no Norte do estado. Nascido em família de agricultores, Marcelo obteve uma bolsa de estudos para intercâmbio no exterior, onde cursa Agricultura Sustentável.

Após conseguir os recursos necessários para o traslado do corpo até o Brasil, a família do jovem de 24 anos também enfrentou problemas burocráticos. A situação foi resolvida nos últimos dias por uma prima do estudante, Sandra, que reside em Curitiba, no Paraná. Ela está nos Estados Unidos desde a semana passada, dia 22, para tratar do assunto.

O acidente que vitimou Marcelo ocorreu no aeroporto regional do condado de Knox. Ele era passageiro de uma aeronave de pequeno porte e, junto com os amigos, faria um passeio. De acordo com a imprensa local, a aeronave Cessna 172 se chocou em uma caminhonete enquanto decolava e caiu logo depois, em uma floresta, onde explodiu.

De acordo com o relato de Sandra feito a Vinícius Rugini, também primo de Marcelo, a funerária norte-americana só conseguiu juntar toda a documentação necessária na segunda-feira (26). Quando a empresa entrou em contato com a companhia aérea para agendar a viagem, foi informada que as autoridades brasileiras devem ser notificadas com 72 horas de antecedência antes do envio do corpo.

Ainda de acordo com o relato de Sandra, o corpo do estudante deve ser embarcado para o Brasil neste sábado (30) com destino a São Paulo. Da capital paulista, o caixão deve ser transportado, por via terrestre, até Muliterno, município de 1,7 mil habitantes no Norte do estado. Uma funerária já foi contratada para realizar o serviço, diz Vinicíus.

O patrão de Marcelo nos Estados Unidos, Bob Spear, virá a Muliterno para o sepultamento. Ele é proprietário da fazenda onde o jovem trabalhou na cidade de Nobleboro. Ele disse ao jornal local Bangor Daily News que o estudante era considerado parte da família e queria que ele continuasse trabalhando na fazenda depois de formado.

Nas últimas semanas, várias homenagens foram feitas a Marcelo e as outras duas vítimas do acidente de avião, ambos americanos. Uma delas foi prestada pela Universidade do Maine, onde o jovem brasileiro estudava Agricultura Sustentável. O trio fazia parte de fraternidade Lambda Chi Alpha. Um memorial em memória das vítimas também deve ser construído na fazenda onde Marcelo trabalhava, diz a família.

Fonte: Brazilian Times