Publicado em 19/12/2012 as 12:00am

Imigrantes ganham cerca de US$300 mil de indenização do ICE

Ana Galindo, que mora na cidade de Paterson (New Jersey), tinha acabado de tomar banho quando ouviu um barulho. Ela vestiu uma camiseta suja e foi ver o que estava acontecendo. Neste momento foi surpreendida por um homem estranho que lhe exigiu a sua iden

da redação Ana Galindo, que mora na cidade de Paterson (New Jersey), tinha acabado de tomar banho quando ouviu um barulho. Ela vestiu uma camiseta suja e foi ver o que estava acontecendo. Neste momento foi surpreendida por um homem estranho que lhe exigiu a sua identificação. Ela mostrou a carteira de motorista de New Jersey, mas o homem disse que somente este documento não era suficiente. "Onde estão os imigrantes indocumentados", indagou o homem. "Se você não disser onde eles estão, as coisas vão piorar. Diga-nos ou a prenderemos", continuou em tom ameaçador. Estas informações estão em um processo aberto em 2008 e ganho nesta semana por Ana contra o departamento de Imigração e Alfândega dos Estados Unidos. Ela faz parte de um grupo de oito pessoas que residem em New Jersey e que dividirão US$295 mil (cerca de R$ 600 mil), que ganharam do Governo Federal depois de vencer a ação. Mas Ana ressalta que nem o dinheiro nem o tempo irão por fim à cena constrangedora e vergonhosa que viveu quando foi abordada em sua casa. "Eu me lembro de seis agentes dentro da minha casa e um outro de guarda na porta como se eu fosse uma marginal", lembra emocionada. Em deles se aproximou da faca dela e a ameaçou enquanto afirmava que sabia que ela estava escondendo 15 imigrantes. Com a gritaria, o filho de nove anos saiu do quarto correndo e assustado. Um agente saciou de uma arma e apontou no peito do menino. "Este foi o pior momento de minha vida. Eles poderia tem matado o meu filho", disse ela acrescentando que um dos agentes a ameaçou dizendo que se ela estivesse escondendo imigrantes em sua casa, eles levariam o seu filho para longe dela. Os homens permaneceram mais alguns minutos até que uma agente disse que haviam cometido um engano e que aquela era a casa errada. Foi então que para corrigir o erro, o agente pediu que ela lhe apresentasse a autorização para estar no país. Este caso faz parte de uma série de histórias semelhantes que estão em um processo com 148 páginas que denunciam ações ilegais da Imigração. Agentes do Immigration and Customs Enforcement (ICE), armados, estão abordando pessoas no meio da noite, algemando adolescentes com suas roupas íntimas, impedindo as pessoas de chamarem seus advogados e cometendo outros tipos de irregularidades.

Fonte: Brazilian Times

Top News