Publicado em 21/12/2012 as 12:00am

Brasileiro é julgado por fazer sexo com uma jumenta

Carlos admitiu teria ficar excitado toda vez que via o animal no cio

Carlos admitiu teria ficar excitado toda vez que via o animal no cio

da redação

Começou na segunda-feira (17), o julgamento de Carlos Romero, 32 anos, que é acusado de manter relações sexuais com animais. Ele, que na cidade de Ocala (Florida), disse que é inocente da acusação. O brasileiro foi flagrado se masturbando em companhia de uma jumenta. Em sua defesa, o advogado disse que é "inconstitucional" proibi-lo de praticar sexo com animais.

O brasileiro foi preso no mês de setembro, através de uma denúncia feita pelo proprietário da fazenda onde ele trabalhava. Gerald James disse aos policiais que viu quando Carlos com as calças arreadas e parecia manter relação com a jumenta de nome Doodle. Isso aconteceu dia 15 de agosto, mas somente um mês depois que foi feita a acusação.

Para defender o brasileiro, os advogados alegam que os estatutos da Flórida violam os direitos de Carlos ao privá-lo de sua liberdade pessoal e autonomia com relação à práticas íntimas e privadas. "O estatuto é ilegal porque não exige que o Estado apresente sinais de sofrimento do animal ou provas de que a relação sexual não foi consensual", disse.

A defesa também ressaltou que os critérios morais da maioria das pessoas, baseando em religião ou tradição, não devem valer como razão para privar alguém de sua expressão sexual. Em uma nota, aos advogados alegam que um ano de prisão é uma pena muito cruel para este tipo de caso.

Assim que foi preso, Carlos afirmou que utilizava os dedos para limpar os órgãos genitais dos animais e que o contato sexual aconteceu por acidente. Mas os policiais relataram que o brasileiro teria se masturbado pelo menos 6 vezes na presença da jumenta e admitiu ter ficado excitado todas as vezes que via o animal no cio.

Fonte: Brazilian Times