Publicado em 28/12/2012 as 12:00am

Brasileiro vira salva-vidas nos EUA

O Bullfighter Lucas Belli Teodoro, mais conhecido no Brasil como salva-vidas Gauchinho, tem pela frente um grande desafio na carreira: atuar nas arenas dos Estados Unidos pelos próximos três meses.

da redação

O Bullfighter Lucas Belli Teodoro, mais conhecido no Brasil como salva-vidas Gauchinho, tem pela frente um grande desafio na carreira: atuar nas arenas dos Estados Unidos pelos próximos três meses.

Aos 25 anos de idade, desde 2010 atuando na PBR Brasil, o atleta encontrou oportunidade de se aperfeiçoar no país norte-americano, recebendo o apoio de todos os esportistas, criadores e diretores da PBR.

Gauchinho confessa que seu motivo está além do lado profissional e pessoal; quer de alguma formar ajudar o esporte a crescer no Brasil.

Apesar de ter chegado aos EUA há poucos dias, ele concorda com a maioria dos competidores que também viajam, e revela que a língua estrangeira é sua maior inimiga. "Eu fiz aulas de inglês antes de viajar, mas quando se chega aqui, enfrentamos muitas dificuldades na comunicação", afirma.

Conhecer as terras do Tio Sam é um sonho, desde que o Bullfighter brasileiro começou sua carreira, e perguntado sobre a diferença dos touros dos EUA para os touros do Brasil, ele é categórico. "Já assisti muitos vídeos de montarias aqui e sempre procurei trabalhar da mesma forma que os Bullfighters americanos trabalham. Os touros aqui são mais rápidos e mais bravos que os do Brasil, mas acredito que sejam mais fáceis de trabalhar", diz.

"Embora os touros brasileiros não sejam tão bravos, os salva-vidas têm de se expor mais pra eles, entrar mais neles para tirar ele de cima do competidor, aqui os touros saem mais nos salva vidas e não ficam muito em cima do peão. Esse é o meu pensamento", completa.

Gauchinho estreia hoje na Etapa PBR – Touring Pro Division, Forth Worth – Texas. "Minha expectativa é boa, estou ansioso, mas procuro me manter calmo, fazer o que eu sei, sempre buscando aprender. Com Fé em Deus e convicto de que tudo dará certo."

Fonte: Brazilian Times