Publicado em 31/12/2012 as 12:00am

Brasileiro tenta incendiar restaurante em Hyannis (MA)

Um brasileiro foi preso sob a acusação de ter jogado um tijolo em uma janela do Restaurante Prova Brasil, em Hyannis (Massachusetts). O fato aconteceu na manhã de sexta-feira (28), e segundo o boletim de ocorrência policial, Lucas Penha, 43 anos, também t

Um brasileiro foi preso sob a acusação de ter jogado um tijolo em uma janela do Restaurante Prova Brasil, em Hyannis (Massachusetts). O fato aconteceu na manhã de sexta-feira (28), e segundo o boletim de ocorrência policial, Lucas Penha, 43 anos, também tentou incendiar o edifício atirando coquetel Molotov.

O brasileiro responderá por danos intencionais à um edifício, posse de "arma infernal" (coquetel Molotov) e tentativa de incendiar o prédio.

O proprietário do restaurante, Fábio Oliveira, chamou a polícia por volta das 7:30am, depois que ele descobriu a janela quebrada. As imagens de vigilância do restaurante mostraram a chegada de Lucas ao local por volta das 1:30am. Ele segurava uma garrafa e tentou acendê-la.

Segundo os investigadores, o acusado teria atirado a garrafa, a qual quebrou mas não acendeu. Com raiva, o brasileiro teria pego um tijolo e atirado contra uma das janelas. Os policiais estão examinando o líquido que estava na garrafa para ver se trata-se de produto inflamável.

Segundo o proprietário do restaurante, na quarta-feira (26), o brasileiro estava agindo de forma estranha do lado de fora do estabelecimento. Ele tirou uma foto do celular do suspeito, a qual a polícia usou para identificar Lucas e prendê-lo.

O proprietário ressaltou, ainda, que o brasileiro proferia o nome de Osama Bin Laden. Mas essa afirmação ele negou à polícia e segundo um comunicado policial, a atitude do brasileiro não tem ligação com o terrorismo.

Em seu depoimento, o brasileiro disse que não trabalha no restaurante e ele jamais teve contato com o proprietário do local. Lucas está nos Estados Unidos com um visto que foi emitido este ano. Ele está preso sem direito a fiança.

Fonte: Brazilian Times

Top News