Publicado em 11/01/2013 as 12:00am

Comemoraçao dos 100 anos de Luiz Gonzaga é commemorado em MA

No dia 3 de Feveriro, a cidade de Maynard (Massachusetts) estará recebendo um grande número de brasileiros para comemorar o Centenário do Nascimento de Luiz Gonzaga, o Rei do Baião.

No dia 3 de Feveriro, a cidade de Maynard (Massachusetts) estará recebendo um grande número de brasileiros para comemorar o Centenário do Nascimento de Luiz Gonzaga, o Rei do Baião.

O evento é organizado por Patrícia de Melo Arruda e seus pais Joao de Arruda Melo e Dulce Neide Arruda. Segundo ela, tudo começou no dia 13 de Dezembro do ano passado (data do nascimento do cantor), quando eles deciriram homenagear aquele que simboliza muito bem a cultura brasileira.

Desde então, já alugaram o clube e iniciaram todos os preparativos para ser uma festa inesquecível. "Queremos celebrar a memória deste que foi um dos grandes cantores do nosso país", acresceta ela.

Outro ponto que está sendo detalhadamente organizado é o repertóriomusical, pois serão apenas músicas de Luiz Gonzaga até a hora de partir o bolo em homenagem ao "Rei do Baião".

O local da festa será no 45 Old Mill Road, Maynard (MA) e as reservas de ingressos e mesas podem ser feitas através do telefone (978) 944-8660 ou 9782016196.

REI DO BAIÃO

Luís ‘Lua’ Gonzaga ‘Gonzagão’ do Nascimento (Exu, 13 de dezembro de 1912 – Recife, 2 de agosto de 1989) foi um compositor popular brasileiro, conhecido como o Rei do baião. Foi uma das mais completas, importantes e inventivas figuras da música popular brasileira. Cantando acompanhado de sua sanfona, zabumba e triângulo, levou a alegria das festas juninas e dos forrós pé-de-serra, bem como a pobreza, as tristezas e as injustiças de sua árida terra, o sertão nordestino, ao resto do país, numa época em que a maioria desconhecia o baião, o xote e o xaxado.

Admirado por grandes músicos, como Dorival Caymmi, Gilberto Gil, Raul Seixas, Caetano Veloso, entre outros, o genial instrumentista e sofisticado inventor de melodia e harmonias,[3] ganhou notoriedade com as antológicas canções "Baião" (1946), "Asa Branca" (1947), "Siridó" (1948), "Juazeiro" (1948), "Qui Nem Jiló" (1949) e "Baião de Dois" (1950). 

Fonte: Brazilian Times