Publicado em 1/02/2013 as 12:00am

Criança sem rosto chega aos EUA para cirurgia

A pequena Vitória Marchioli, de apenas 4 anos de idade, já está nos Estados Unidos, onde passará por uma cirurgia para a recomposição da sua face. Ela, que nasceu na cidade de Barra do São Francisco, no Espírito Santo, foi desenganada pelos médicos desde

Luciano Sodré

A pequena Vitória Marchioli, de apenas 4 anos de idade, já está nos Estados Unidos, onde passará por uma cirurgia para a recomposição da sua face. Ela, que nasceu na cidade de Barra do São Francisco, no Espírito Santo, foi desenganada pelos médicos desde o nascimento, mas a sua força de vontade para viver superou a todos os diagnósticos negativos.

Em uma entrevista emocionada o pai da menina, Ronaldo Marchioli, contou a história para o jornal Brazilian Times, desde a gravidez de sua esposa Jocilene Marchioli. Ele lembra que logo no início da gestão, quando iniciaram as ultrassonografia, foi informado de que a menina não sobreviveria e que poderia comprar um caixão. "Nós até encomendamos o caixãozinho, mas minha filha foi realmente uma vitoriosa e até agora luta para viver", acrescenta.

Ronaldo conta que os médicos deram apenas uma hora de vida para a pequena Vitória, que nasceu com má formação crânio facial. O bebê, recém-nascido ficou dois dias sem receber amamentação, na casa de saúde onde nasceu. Mas depois os pais decidiram levá-la para o hospital da cidade e uma semana depois do parto, a conduziram para a capital do Espírito Santo.

Novamente, Ronaldo e sua esposa receberam a notícia de que ela não sobreviveria e foi informado de que a menina estava voltando para sua cidade e que não chegaria viva. "Mas o tempo foi passando e três meses depois nós a levamos para Bauru, no interior de São Paulo. Lá ela ficou 24 dias sob observação e depois os médicos a mandaram de volta para casa sob a alegação de que não havia nada a fazer e que não havia perspectiva de vida", conta.

Como a menina lutava para viver e os pais mais ainda, eles a levaram para Ribeirão Preto, também no interior de São Paulo, onde foram realizadas três cirurgias, mas sem nenhum progresso e novamente ela foi encaminhada para casa sob o diagnóstico de que não sobreviveria.

O casal já não sabia mais o que fazer até que as portas se abriram na cidade de Belo Horizonte, em Minas Gerais. Eles levaram a pequena Vitória e ela passou por alguma consultas, participou de programas de televisão e rádio. Isso foi fundamental, pois o caso ficou conhecido em vários lugares no Brasil. Foi então que um médico sugeriu que a família tentasse fazer a cirurgia nos Estados Unidos.

Com a ajuda de amigos, eles conseguiram ganhar uma cirurgia na cidade de Galveston, no Texas. Assim que conseguiram levantar o dinheiro da passagem e um lugar para ficar, o casal pegou a filha e viajou para os EUA. Ronaldo, Jocilene e Vitória já estão hospedados no Ronaldlo McDonalds, uma espécie de albergue, a espera dos tratamentos.

Segundo Ronaldo, no dia 11 de fevereiro acontecerá a primeira cirurgia, quando será colocada uma sonda no estômago da menina. O pai, emocionado e esperançoso, contou que a mãe retornará para o Brasil, mas pretende voltar para os EUA para assistir à segunda cirurgia, que acontecerá no dia 30 de abril.

O problema é que eles ganharam a cirurgia, mas as despesas para permanecer no país, tais como alimentação e outras devem ser bancadas pelo próprio bolso. Por isso ele abriu uma conta para que as pessoas possam ajudá-lo a se manter até o final dos tratamentos. "Quem quiser depositar qualquer quantia pode usar a conta em meu nome no Bank of America de número 586031021585", fala.

Fonte: Brazilian Times

Top News