Publicado em 15/02/2013 as 12:00am

Grupo brasileiro dono do Burger King e Warren Buffett compram a Heinz

Empresa brasileira 3G Capital fechou acordo com o megainvestidor Warren Buffett e fez uma oferta de US$ 28 bilhões para comprar uma das mais tradicionais empresas de alimento dos EUA

Empresa brasileira 3G Capital fechou acordo com o megainvestidor Warren Buffett e fez uma oferta de US$ 28 bilhões para comprar uma das mais tradicionais empresas de alimento dos EUA

da redação

O grupo brasileiro de investimentos 3G Capital, dono do Burger King, fechou uma parceria com a gestora de fundos Berkshire Hathaway, do megainvestidor Warren Buffett, para comprar a Heinz, uma tradicional marca do setor de alimentação dos Estados Unidos. As empresas oferecem US$ 23 bilhões pela Heinz, e se comprometem a assumir US$ 5 bilhões em dívidas.

O acordo já foi aprovado pelo conselho da Heinz, mas ainda precisa ser validado pelas autoridades americanas. Segundo os termos do acordo, cada grupo terá US$ 4,5 bilhões em participação no capital da Heinz, mas a empresa de Buffett terá uma fatia adicional de US$ 8 bilhões. Se a transação for aprovada, os acionistas receberão um prêmio de 20% no valor dde cada ação.

A 3G Capital é um fundo brasileiro de private equity, sediado em Nova York, controlado pelos brasileiros Jorge Paulo Lemann, Carlos Alberto Sicupira e Marcel Telles. O fundo tem forte participação no setor de alimentação. Os sócios do 3G estão entre os acionistas da Anheuser-Busch Inbev, que controla a Ambev, e compraram em 2010 a rede de fast-food Burger King.

Se a compra se confirmar, a transação será a quarto maior da história no setor de alimentos. A expectativa é que a compra seja concluída no terceiro trimestre do ano fiscal de 2013.

Após o fechamento da operação, a Heinz continuará baseada em Pittsburgh, Pensilvânia, e deixará de ser cotada na bolsa. Fundada em 1869, a Heinz, famosa por seus molhos ketchup e mostarda, emprega atualmente cerca de 32 mil pessoas em todo o mundo e tem centros de produção em mais de 50 países. Em 2012, a empresa registrou um lucro líquido de US$ 923 milhões e vendas de US$ 11,65 bilhões.

Fonte: Brazilian Times