Publicado em 4/03/2013 as 12:00am

Brasileiros participam de movimento pró-reforma imigratória

Com o objetivo de promover a reforma nas leis de imigração dos Estados Unidos, ativistas imigrantes se reuniram no sábado (02), em Nashua (New Hampshire). Durante o encontro, eles contaram suas histórias, relataram a indignação com o marasmo dos legislado

da redação

Com o objetivo de promover a reforma nas leis de imigração dos Estados Unidos, ativistas imigrantes se reuniram no sábado (02), em Nashua (New Hampshire). Durante o encontro, eles contaram suas histórias, relataram a indignação com o marasmo dos legisladores e buscaram de alguma maneira exigir que um projeto abra caminho para a cidadania dos 11 milhões de trabalhadores que vivem em situação irregular no país.

O imigrante Heliodono Callijas, 73 anos, chegou aos Estados Unidos em 1996, Ele falou com a ajuda de um intérprete e contou um pouco de sua vida. "Estou em situação irregular, eu sou um ilegal", disse, compartilhando a sua vontade de permanecer nos estados Unidos e continuar a trabalhar como pintor. "Eu trabalho duro como qualquer jovem", continuou.

O imigrante disse que as autoridades já estão ciente de sua situação irregular no país, pois "estava na hora errada e no lugar errado, quando alguns agentes da Imigração abordaram alguns imigrantes". Ele garante que vai continuar a lutar para obter a sua legalização e viver como uma pessoal normal nos EUA.

Várias famílias, que de uma forma ou de outra foram afetadas pelas leis de imigração, participaram deste encontro que aconteceu na igreja St. Louis De Gonzaga. Os organizadores desta marcha já visitaram 90 cidades em 29 estados e o objetivo é ouvir as pessoas e traçar planos para promover a reforma imigratória.

Belgica Garzon, de Walthan (Massachusetts), disse que sabe como é ser rejeitada por ser um imigrante. "Mesmo eu não sendo um residente legal, eu sou um ser humano", explicou emocionada. "É minha obrigação participar de eventos como este que visam promover a reforma imigratória e um caminho para a cidadania", continua.

A brasileira Soraia Ferreira, que vive em Nashua, chegou aos Estados Unidos em 2002, e seus dois filhos, um com 20 e outro com 25 estão morando no Brasil. "É muito difícil falar sobre isso", disse ela com a ajuda de um intérprete.

O visto dela expirou em 2003 e segundo ela tem um erro de documentação que aconteceu após a morte do seu pai, em 2008. Isso lhe tem trazido alguns problemas e em dezembro passado, teve uma negativa para a liberação do Green Card.

Outro brasileiro que participou do evento foi João Canto, 25 anos, que vive na cidade de Everett (MA). Ele chegou aos EUA quando ainda tinha 13 anos de idade e em outubro do ano passado aplicou para o "Deferred Action", baseado na lei que concede autorização de trabalho para jovens imigrantes que chegaram ao país antes dos 15 anos de idade.

Fonte: Brazilian Times

Top News