Publicado em 11/03/2013 as 12:00am

Nascida nos EUA, jovem representa o Brasil na patinação artística no gelo

Isadora Williams, de 17 anos, só veio ao país três vezes, mas a mãe é brasileira e, por direito, ela também é. Patinadora sonha conhecer o Rio

Isadora Williams, de 17 anos, só veio ao país três vezes, mas a mãe é brasileira e, por direito, ela também é. Patinadora sonha conhecer o Rio

da redação

Isadora Williams nasceu em Atlanta, nos Estados Unidos, e mora perto de Washington. Aos 17 anos, a jovem só veio ao Brasil três vezes na vida, mas vai representar o país na competição Mundial de Patinação Artística no gelo. A mãe dela é brasileira, então, por direito, a menina também é. Uma americana com sangue mineiro.

- É muito bom representar o meu país nas competições – diz a patinadora com orgulho.

A mãe de Isadora tenta de alguma maneira compensar a distância do Brasil. Há seis meses ela tem aulas de português para aprender a língua. Mas essa é só uma das atividades da jovem.

- A patinação no gelo é diferente, é uma mistura de dança e ginástica. É bonito. É um desafio. Uma busca constante da perfeição – explica a brasileira.

Para alcançar a perfeição é preciso ter graça e força ao mesmo tempo. E tudo exige muita técnica e prática. As aulas de balé ajudam na leveza. Já os exercícios pesados da ginástica e da musculação tonificam os músculos para aguentar a rotina pesada.

- Ninguém consegue imaginar a força que essa menina aparentemente tão frágil tem – ressalta a técnica de ginástica.

São no mínimo seis profissionais, entre professores, técnicos e coreógrafos, envolvidos diariamente nos treinos. Tudo isso para que Isadora se saia bem no mundial, no Canadá. A patinadora tem grandes chances de se classificar para os Jogos Olímpicos de Inverno, que acontecerão ano que vem na Rússia.

Se isso acontecer, será a realização de um de seus sonhos: ser a primeira brasileira na patinação artística no gelo na história olímpica. O outro desejo é bem brasileiro, ela quer conhecer o Rio de Janeiro.

- Imagina morar lá, na praia, seria um sonho!

Fonte: Brazilian Times