Publicado em 20/03/2013 as 12:00am

Brasileiro é acusado de matar três em acidente de carro na Califórnia

Natural de Minas Gerais, o brasileiro Dênis Amado de Macedo, 28 anos, é acusado de provocar a morte de três membros de uma família e de deixar uma vítima em estado grave após um acidente automobilístico no condado San Mateo, na Califórnia (EUA). O acident

da redação

Natural de Minas Gerais, o brasileiro Dênis Amado de Macedo, 28 anos, é acusado de provocar a morte de três membros de uma família e de deixar uma vítima em estado grave após um acidente automobilístico no condado San Mateo, na Califórnia (EUA). O acidente aconteceu no dia 9, quando voltava de uma confraternização com amigos em uma pizzaria, após uma partida de futebol. No local, o jovem teria bebido cerveja, antes de retornar para casa em sua BMW.

No caminho, o veículo bateu na traseira de um carro estacionado e arrancou em alta velocidade. Preocupado em fugir do tráfego por causa da colisão, realizou manobra arriscada e acertou a 100 quilômetros por hora um carro que saia da garagem. Josefa Acevedo, 50 anos, e os filhos, Amado (23) e Josue (15) morreram na hora. A namorada de Amado, Sarah Sangraw, foi levada para o hospital em estado grave, onde permanece após ter passado por oito cirurgias. A família saia naquela noite para ir ao cinema.

Dênis está detido na delegacia do condado de San Mateo desde o dia do acidente. Um exame revelou que ele tinha 0,18% de álcool no sangue, mais do que o dobro permitido pela legislação da Califórnia: 0,08%. O estado não utiliza bafômetros. Esta não é a primeira vez que o jovem se envolve em um acidente no estado. Há dois anos, chegou a ficar três dias detido por causa de uma colisão de menor porte, que não teve vítimas fatais. Desta vez, o brasileiro pode pegar até 16 anos de prisão e responderá pelas mortes, pelo crime de omissão de socorro e por dirigir embriagado. O processo foi apresentado na Corte da Califórnia na terça-feira e, de acordo com o procurador Albert Serrato, designado pelo estado para defender o brasileiro, ainda não tem data para chegar ao fim.

— O processo está apenas no início e não está descartada a possibilidade de ele confessar. Ele foi enquadrado na lei de homicídios por negligência na condução veicular e, além da pena, terá a licença suspensa — explica o procurador. Apesar de ter sido levado para a delegacia para prestar depoimento logo após o acidente, o brasileiro não foi ouvido porque não havia ninguém que falasse português para escutar a sua versão, registrada em depoimento prestado na semana passada.

Fonte: globo.com