Publicado em 3/04/2013 as 12:00am

Empresa brasileira de remessas sob investigação fiscal

A empresa BrazTransfer de remessas tem suas atividades paralisadas para o público

A empresa BrazTransfer de remessas tem suas atividades paralisadas para o público

Especial ANBT

Há 9 anos atuando no mercado de tranferência de dinheiro dos EUA, para o Brasil e o mundo, e uma das líderes dentro da comunidade brasileira, a Braz Transfers está com as atividades suspensas temporariamente, devido a uma investigação por parte de órgãos de fiscalização do governo americano, que corre em segredo de justiça.

A origem dos problemas da Braz Transfers, segundo as fontes de nossa reportagem foi um desvio financeiro interno da ordem de quase 4 milhões de dólares, realizado por um dos sócios da empresa. Segundo a nossa reportagem tal sócio ( por estar ainda correndo em segredo de justiça, não podemos mencionar nomes) se utilizou de documentos falsos para realizar o desvio do caixa da empresa. Este procedimento gerou discrepâncias na prestação de contas ao governo americano, daí a intervenção. Este ou estes desvios tiveram sua origem em 2012, e somente agora foram detectados, sendo que o caso já foi entregue à justiça e tem uma grande equipe de advogados envolvida na assessoria da empresa.

"Roubei sim, me perdoem"

Com quase 50 funcionários e 100 pontos de remessas, e autorizada a funcionar legalmente, no Brasil e nos EUA, e em outras partes do mundo, a BrazTransfers sempre foi uma empresa sólida e confiável, e todos os envolvidos , de acordo com nossa reportagem, foram pegos de surpresa pelo ocorrido. E como ainda nem todas as informações foram esclarecidas ou ainda apresentadas para que se consiga delinear o que realmente acontece, paira no ar uma expectativa dentro da comunidade, pela reputação mantida por esta empresa, visto que até o momento parece que nenhum cliente, funcionário ou ponto de remessa tiveram prejuízos. Nossa redação que sempre recebe informação sobre esta o aquela empresa sobre o desrespeito à ética, ou mesmo, usando o termo mais aberto, dando o "calote" dentro da comunidade, sobre a esta empresa a BrazTransfer, nossa redação nenhuma denúncia recebeu.

Contudo, um fato mais que interessante, foi o que, um dos sócio que fez o desvio, ao ser confrontado com os documentos adulterados, assumiu a culpa diante de funcionários, e afirmou: "Roubei sim, me perdoem!". A exclamativa ou informação, ainda não confirmada, é que o destino do dinheiro desviado foi para investir em minas de ouro no Brasil e na África.

Ainda não se sabe ao certo qual será o futuro da Braz Transfers, tudo vai depender do resultado das investigações e de como seus dirigentes vão lídar com o significativo prejuízo financeiro e de imagem da empresa, já que ainda não se sabe também quais serão os desdobramentos que o caso terá de agora em diante.

O mercado de remessas de dinheiro para outros países é delicado, e depende de autorização dos países envolvidos, além de sofrer uma fiscalização rigorosa. Aqui nos Estados Unidos e principalmente em Massachusetts, onde outras empresas de remessas deram o tal do "calote" na comunidade, a fiscalização se tornou ainda por devera, mais rigorosa. Todas as empresas tem agora que prestar contas do dinheiro enviado em até 7 dias úteis, sob pena de intervenção. Não é mais um segmento para aventureiros, já que é preciso capital, coragem e determinação por parte da diretória para atuar neste competitivo mercado, que concorre diretamente com os grandes bancos internacionais e também com o mercado, formal ou informal, dos doleiros, espalhados por todo o mundo sob a fachada de "casas de câmbio".

Muitos brasileiros precisam ficar alerta ao fazer sua remessa para o Brasil, já que muitas lojas de envio se utilizam de doleiros informais, que nem sempre cumprem com sua palavra, e que não oferecem nenhuma garantia. É preciso ficar atento para não ser lesado.

Mais uma vez nosso povo é surpreendido, por problemas em uma empresa brasileira, aqui nos Estados Unidos. Parece que o "jeitinho brasileiro" não está funcionando na terra do Tio Sam. É preciso que todos os empresários, seja de remessa de caixas, envio de dinheiro e todos os outros entendam, de uma vez por todas, que por aqui, a lei funciona. E o fisco, na maioria dos países, e os Estados Unidos não fogem à regra, mantém a "cara do leão"!

Fonte: Brazilian Times

Top News